fbpx
Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 23 de julho de 2009.

A incidência de infecção pelo HIV na terceira idade é considerada preocupante

COMPARTILHE:

Snif Brasil

Ao longo dos últimos dez anos, o contingente de indivíduos com 60 anos de idade ou mais no Brasil aumentou 35,5%, passando de 10,7 milhões para 14,5 milhões. Estima-se que nas próximas duas décadas esse grupo de brasileiros represente 13% da população. Atualmente, os avanços da medicina aliada à indústria farmacêutica vêm permitindo o prolongamento da expectativa de vida e aumento da vida sexual ativa, o que tornou as pessoas na “terceira idade” mais vulneráveis às doenças sexualmente transmissíveis, dentre elas, a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV).

Nos últimos anos, houve uma considerável elevação da incidência de infecção na terceira idade, representando atualmente cerca de 2,4% do total de pacientes contaminados. Estima-se de que um total de 600 mil pessoas contaminadas com HIV, 14 mil possuam idade igual ou superior a 60 anos.

Segundo a médica Cláudia Calixto, patologista clínica do Lavoisier Medicina Diagnóstica/DASA, a relação sexual é a principal via de contaminação desse grupo etário.
“Alguns fatores contribuíram para o aumento do número de infectados, como a não inclusão deste grupo em campanhas de prevenção, dificuldade em se adaptar ao uso do preservativo, pois não há mais a necessidade de usá-lo como contraceptivo e, atualmente, o uso de medicações para disfunção erétil, levou ao aumento do número de exposições sexuais sem proteção”, explica a médica.

Com a popularização do mercado de drogas para a prevenção da impotência sexual, aumenta assim o interesse sexual dos idosos levando estes à maior exploração da sua sexualidade. Essa sexualidade que era até então ignorada pela mídia. Dra. Cláudia Calixto esclarece que o tratamento para o HIV nesta idade é semelhante ao de outras faixas etárias. “A adesão ao tratamento é variável, dependendo de fatores culturais e sociais, hábitos e vícios. A estrutura familiar é importante, pois aqueles pacientes que recebem apoio familiar tendem a ter maior adesão ao tratamento quando comparados àqueles institucionalizados, moradores solitários ou abandonados”, finaliza ela.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Logotipo Ascoferj

INFORMA

A Ascoferj informa que está em regime semipresencial.

Segundas, quartas e sextas: atendimento presencial, das 12h às 17h
Terças e quintas: atendimento remoto, das 8h às 17h.

Telefones de todos os setores para contato:

– Financeiro – (21) 98272-2882
– Jurídico – (21) 98097-0092
– Regulatório – (21) 98272-2852
– Comunicação – (21) 98272-2867
– DAC/Cursos – (21) 98399-0146
– Central de Negócios – (21) 98293-1816
– Comercial – (21) 98097-0099
– Relacionamento – (21) 98145-2036

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.
×