Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 20 de setembro de 2011.

Aquisição da Farmacoterapia pela Hypermarcas é aprovada

COMPARTILHE:

Abras

O negócio levou à concentração de diversos produtos que ambas as empresas fabricam, como xampus, sabonetes femininos e medicamentos. A Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) do Ministério da Fazenda recomendou ao Cade que imponha restrições com relação a medicamentos da classe A02B4, utilizados para combater úlceras. Essa restrição poderia ser a venda desses medicamentos a concorrentes. Com relação aos demais produtos, a concentração não seria suficiente para prejudicar a concorrência e a Seae recomendou a aprovação do negócio para xampus e sabonetes.

Os conselheiros discordaram da análise da Seae quanto a medicamentos. "Eu não encontrei condições para o exercício unilateral de mercado", afirmou o relator do processo, conselheiro Ricardo Ruiz, referindo-se ao suposto poder que a Hypermarcas teria frente a outras competidoras que vendem remédios contra úlceras. "Há um grau de substituição do produto e não acredito que seja razoável fazer uma intervenção", completou.

Os demais integrantes do Cade seguiram o voto de Ricardo Ruiz. Com isso, o caso foi aprovado por unanimidade. Em julho, o órgão antitruste concluiu julgamento a favor da compra da Revlon pela Hypermarcas – negócio que garantiu à empresa o controle das marcas Bozzano, Campos do Jordão, Juvena, Aquamarine e Bitufo.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.