Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 21 de março de 2012.

BR Pharma amplia receita e reverte perdas

COMPARTILHE:

Valor Economico

A BR Pharma, braço de varejo farmacêutico do banco BTG Pactual, reverteu no ano passado as perdas registradas em 2010 – prejuízo líquido de R$ 23,3 milhões para um lucro líquido de R$ 5,5 milhões em 2011 – com expansão de 24% na receita bruta, para R$ 1,1 bilhão. Os indicadores do quarto trimestre também mostraram melhorias – o prejuízo encolheu de R$ 16,4 milhões para R$ 208 mil e a receita bruta também cresceu, 24,4%, para R$ 323 milhões.

Analistas ressaltam os ganhos, mas chamam atenção para a necessidade de a empresa finalizar o processo de integração dos negócios adquiridos nos últimos meses, como forma de abrir espaço para um crescimento sustentado. Nos últimos cinco meses, a varejista comprou o controle de três redes de farmácias no Sul e no Nordeste do país e abriu mais lojas do que o previsto.

Questionada pelos analistas a respeito do fôlego para manter margens brutas elevadas em 2012 (esse indicador passou de 30,2% para 34,7% de 2010 para 2011, mas reforçado por ajuste contábil pontual), a empresa deu algumas explicações. "Os ganhos de margem devem vir de nosso melhor relacionamento com a indústria e de um trabalho melhor que está sendo realizado no ponto de venda", disse o presidente da rede André Sá. Para 2012, a BR Pharma prevê abertura de 100 drogarias, versus 86 em 2011, dentro de um projeto de crescimento orgânico, em paralelo com eventuais aquisições que ainda possam acontecer.

"A empresa bateu a meta de abrir 75 lojas em 2011, ao somar 86 lojas abertas e continuou a fechar importantes aquisições. No entanto, acreditamos que o gerador de valor para o preço da ação agora será a integração das operações, quando a empresa finalmente será capaz de extrair valor a partir de todas essas recentes compras", informa relatório de Guilherme Assis e Joseph Giordano, analistas do Raymond James.

"Em nossa opinião, a Brazil Pharma enfrenta um desafio difícil pela frente, com execução com riscos elevados, mas acreditamos que a contratação de uma equipe de gerenciamento com expertise no setor de ajuda a reduzir esses riscos", completa o relatório, ao citar questões como expectativa de aumento de concorrência e necessidade de a empresa reduzir prazo de estoque, considerado acima da média do mercado.

Segundo o comando da companhia, foi implementado um processo interno de integração dos negócios adquiridos, de maneira que as sinergias possam ser capturadas. Mas ela admite que os ganhos devem aparecer mais para frente. "Vamos ter reduções de custos e aumentos de performance com captura maior desses ganhos em 2013", disse Sá.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.