Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 25 de novembro de 2008.

Discussão sobre a captação de receitas médicas

COMPARTILHE:

O Estado de São Paulo

Farmácias repassam informações para pesquisas de mercado
Os laboratórios farmacêuticos multinacionais que operam no Brasil admitem que atualmente até 15% das 35 milhões de prescrições médicas feitas por mês no País são captadas pelo setor. As farmacêuticas recolhem dados das receitas no momento em que são apresentadas nas farmácias, como o nome do médico, o medicamento recomendado e se a compra foi de um produto de marca ou genérico.

Para entidades médicas e de farmacêuticos, isso é um comportamento antiético, em razão da possibilidade de violação do sigilo entre médicos e pacientes e até mesmo de que dados pessoais de doentes possam ser mal utilizados.

O Estado de São Paulo verificou que em pelo menos três redes de São Paulo o registro do médico é recolhido em boletos de papel, com informações, por exemplo, se a compra foi realizada via convênio médico. Quando o cliente mostra a receita, os dados são anotados no boleto pelo balconista, e, no caixa, os dados são digitados antes da finalização da compra.
A Anvisa informou que conselho de medicina discute o assunto, mas ainda não chegou a um consenso.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Logotipo Ascoferj

INFORMA

Olá, Associado Ascoferj! Dê um play ▶️ e veja o CONVITE que o Bernardinho do voleibol tem para você! 😉

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.