Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 23 de agosto de 2012.

Eparema apresenta os benefícios dos alimentos funcionais

COMPARTILHE:

A ingestão de alimentos saudáveis é, sem dúvida, importante para a saúde de modo geral. Durante as refeições, são adquiridas substâncias necessárias para o funcionamento correto de todos os sistemas do corpo humano. Alguns alimentos, conhecidos como funcionais ou nutracêuticos, apresentam nutrientes muito benéficos à saúde e que, além de cumprirem a função de nutrir, trazem elementos que podem auxiliar na prevenção de algumas doenças. Boa parte da culpa da má digestão vem dos alimentos. Para fugir do inconveniente, é preciso estar atento aos seus hábitos. O primeiro passo é avaliar a qualidade dos alimentos escolhidos. Se eles são muito gordurosos e estiverem frequentemente presentes no seu prato, podem ocasionar desconforto estomacal em algumas pessoas. De maneira geral, alimentos ricos em carboidratos como o arroz, massas, pães, frutas e legumes, são digeridos mais facilmente. Outro grupo muito importante é formado pelas proteínas, encontradas nas carnes, leite e leguminosas. Já as gorduras são os nutrientes com maior dificuldade de digestão: óleos, creme de leite e manteiga são exemplos dessa categoria. Uma alimentação rica em frutas, legumes, cereais e carnes magras dificilmente ocasiona transtornos digestivos. Durante a refeição, é importante pensar também na quantidade de líquidos. As bebidas fazem com que o estômago fique inchado, principalmente as gasosas. “O estômago tem de suportar o peso do prato mais a quantidade de líquido. Esses excessos distendem o órgão, causando o desconforto. Além disso, os líquidos diluem as enzimas participantes do processo digestivo”, explica a nutricionista e chef especializada em alimentação saudável Selva Fierro. Para evitar que isso aconteça, é preciso limitar a ingestão de líquido a um copo de 200 ml durante as refeições. Mesmo com todos os cuidados desde a seleção dos alimentos funcionais para a prevenção até a mastigação, comendo pouco ou bem, é possível que haja alguma indisposição no organismo, o que pode apresentar alguns sintomas de má digestão. Nesses casos, uma das formas de tratar os sintomas é por meio de medicamentos fitoterápicos à base de ruibardo, cáscara sagrada e boldo indicados para distúrbios do fígado e da digestão como Eparema, medicamento do laboratório Takeda. Outra dica importante é mastigar bem os alimentos. A digestão começa na mastigação, já que algumas enzimas atuam ainda enquanto se mastiga, na boca. “Pular essa parte é um empecilho para uma quebra satisfatória dos alimentos”, lembra Selva Fierro. Soja, trigo, banana, mamão, arroz, milho, tomate, alho, azeite, chá verde, uva vermelha, castanha-do-pará, peixes, gergelim, maçã, linhaça, brócolis e mel são alguns exemplos de alimentos funcionais. Selva Fierro elencou alguns desses alimentos e seus benefícios: Chá verde: oferece uma substância funcional chamada catequina, que previne diversos tipos de câncer e doenças cardiovasculares, colaborando também para retardar o envelhecimento. Além disso, o chá pode ajudar a combater a má digestão, pois ativa as enzimas digestivas se tomado 10 minutos antes da refeição. Também atua como um ótimo antiácido tomado logo após a ingestão de alimentos. Peixes de água fria: possuem alta quantidade de ácidos graxos ômega 3 que diminuem o risco de doenças cardiovasculares. O Omega 3 é um tipo de gordura que não é produzida pelo nosso organismo, chamada de insaturada, muito saudável e benéfica ao coração. Ela é encontrada em peixes como salmão, sardinha, atum e truta. Banana: rica em oligossacarídeos que ajudam a evitar a constipação, protegem a função hepática, reduzem a pressão arterial, baixam o colesterol e também podem ter efeitos anti-cancerígenos. Além disso, a banana também ajuda na prevenção da osteoporose e apresenta substâncias que formam uma espécie de filme protetor na parede do estômago, diminuindo os ataques da acidez, reduzindo a sensação de incômodo. Tomate: está relacionado à diminuição do risco de câncer de próstata por conter em abundância uma substância funcional chamada licopeno, que é encontrada também na melancia, no pimentão e na beterraba. Soja: contém isoflavonas, substâncias funcionais que auxiliam na redução do colesterol ruim e atenuam os sintomas da menopausa. Nozes: a vitamina E é um dos maiores destaques. Também são ricas em zinco, magnésio, vitaminas do complexo B e potássio. Seus nutrientes previnem diversos tipos de câncer e controlam a pressão arterial. Alho: traz benefícios extraordinários para a saúde do sistema cardiovascular. Estudos demonstram que o consumo de alho ajuda a regular a pressão arterial. O alho também inibe a formação de placas, reduz os níveis do colesterol ruim e sua fixação na parede das artérias. O ingrediente contém alicina, que parece funcionar como um relaxante das células nervosas que se contraem com a passagem do fluxo de sangue. Canela: curiosamente, a canela diminui o açúcar no sangue, atuando em vários níveis diferentes. Ela ajuda a retardar o esvaziamento do estômago, reduzindo o aumento acentuado de glicose no organismo após as refeições e melhora a eficácia ou a sensibilidade à insulina. A canela também aumenta as defesas antioxidantes do corpo, que agem contra os radicais livres. Gengibre: sua raiz é cheia de propriedades que deixam o organismo longe de enjôos, gases, infecções e inflamações. Além disso, o elemento que confere o sabor picante do gengibre fortalece a circulação sanguínea. Fonte: Maxpressnet


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.