Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 13 de outubro de 2009.

Fórum no Senado discute propaganda de medicamento

COMPARTILHE:

Ascom/Assessoria de Imprensa da Anvisa

Os limites para a publicidade de medicamentos foram discutidos nesta quinta-feira (8) no Senado Federal. O Fórum Propaganda e Publicidade de Medicamentos: Critérios Éticos para a Promoção de Medicamentos reuniu representantes da área de saúde, do poder legislativo e do setor produtivo.

O diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Raposo de Mello, defendeu na abertura do evento, o direito do cidadão a receber informações completas e verdadeiras sobre os produtos oferecidos pela indústria. De acordo com Raposo, os medicamentos são diferenciados para os quais a aquisição depende de uma intermediação profissional. “No caso dos medicamentos, quem faz a escolha é o médico ou o farmacêutico, porque o paciente não tem como eleger a melhor alternativa de tratamento”, explicou.

De acordo como o senador Papaléo Paes (PSDB/AP), um dos riscos da propaganda indevida é a veiculação de informações erradas que podem prejudicar a escolha do médico pelo melhor tratamento. “A crítica tem apontado como falhas a falta de informação sobre contra-indicações, interações medicamentosas e a sugestão da ausência de efeitos colaterais”, criticou Papaléo.

Já o senador Flexa Ribeiro (PSDB/PA) lembrou que a Constituição de 1988 garante o direito da sociedade de se proteger da propaganda de produtos e serviços que possam trazer riscos ou prejuízos às pessoas. Para o senador Aldemir Santana, é necessário discutir também o acesso à assistência de saúde. Segundo ele, a falta de acesso aos serviços de saúde é o que leva à automedicação pela população.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.