fbpx
Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 28 de junho de 2011.

Laboratórios voluntariamente tiram emagrecedor do mercado

COMPARTILHE:

Estadão Online

Dois dos maiores fabricantes de sibutramina no Brasil já retiraram seus medicamentos do mercado voluntariamente, antes mesmo de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidir se proíbe ou não a venda no País – algo que deverá ocorrer somente em agosto.

O laboratório Abbott, que fabricava o medicamento de referência, optou por retirar o emagrecedor do mercado brasileiro em novembro do ano passado, assim como fez nos EUA. A Medley, laboratório líder em genéricos no Brasil, também decidiu encerrar a produção de sibutramina voluntariamente, em fevereiro deste ano, depois que a Anvisa sugeriu a retirada do mercado.

A retirada da sibutramina do mercado e o aumento do controle na prescrição por parte da Anvisa têm um reflexo direto no consumo desse medicamento no País. Dados da agência apontam que, em 2009, foram expedidas 4,9 milhões de receitas de inibidores de apetite no Brasil, sendo que 60% eram de sibutramina. Isso inclui medicamentos industrializados e manipulados.

Após a Anvisa aumentar o controle no tipo de receituário da sibutramina – mudou da classe simples para a especial – a prescrição de inibidores de apetite caiu cerca de 10%: foram 4,41 milhões de receituários. A queda da sibutramina foi ainda mais drástica: 32%, de 2,95 milhões de receitas para 1,99 milhão. Outros inibidores de apetite compensaram a perda. A prescrição de anfepramona, por exemplo, cresceu 21% no período (de
1,08 milhão para 1,31 milhão). A prescrição de femproporex aumentou cerca de 29% (de 838 mil para 1,07 milhão).

A queda no consumo de remédios para emagrecer também foi constatada pela IMS Health, que é uma consultoria especializada no mercado farmacêutico. Segundo dados da empresa, entre abril de 2008 e abril de 2009 foram consumidas 9,88 milhões de unidades de drogas para emagrecer no País – o que inclui sibutramina, mazindol, femproporex e anfepramona. Em 2010, foram consumidas 9,06 milhões de unidades, o que aponta ligeira queda.

Após o aumento do controle, o consumo foi ainda menor: de abril de 2010 até abril deste ano foram consumidas 6,2 milhões unidades desses medicamentos, 31,26% menos que no ano anterior. Outros laboratórios que também fabricam sibutramina, como a Germed, o Aché e a Eurofarma, continuam com o medicamento disponível no mercado, até que saia uma decisão definitiva da Anvisa.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Logotipo Ascoferj

INFORMA

A Ascoferj informa que está em regime semipresencial.

Segundas, quartas e sextas: atendimento presencial, das 12h às 17h
Terças e quintas: atendimento remoto, das 8h às 17h.

Telefones de todos os setores para contato:

– Financeiro – (21) 98272-2882
– Jurídico – (21) 98097-0092
– Regulatório – (21) 98272-2852
– Comunicação – (21) 98272-2867
– DAC/Cursos – (21) 98399-0146
– Central de Negócios – (21) 98293-1816
– Comercial – (21) 98097-0099
– Relacionamento – (21) 98145-2036

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.
×