fbpx
Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 24 de junho de 2013.

Logística reversa deve ganhar força no 2º semestre do ano

COMPARTILHE:

Se a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) tem demonstrado visíveis avanços quanto ao descarte adequado em segmentos como os de pilhas e embalagens de agrotóxicos, a área de medicamentos ainda engatinha para implantar a prática. A expectativa é de que esse cenário altere-se a partir de julho, quando o governo federal deve publicar o edital para a implantação da logística reversa no setor de medicamentos. O presidente-executivo do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (Sindusfarma), Nelson Mussolini, salienta que, quando se fala da logística reversa no caso dos medicamentos, o reaproveitamento é mais complicado. “O risco sanitário de aproveitar um medicamento vencido ou um produto que não se sabe como foi armazenado é muito grande”, alerta Mussolini. O executivo afirma que os itens mais tóxicos, aplicados em clínicas e hospitais, normalmente são encaminhados de uma forma correta para o descarte, pois são fiscalizados. A questão são os produtos que sobram em casa, que em geral não são tão tóxicos. “Nós, da indústria, temos uma posição muito clara: sim, precisamos fazer alguma coisa, mas temos que estudar com cuidado o que e como fazer”, defende Mussolini. Não são apenas os medicamentos que devem receber atenção na hora da destinação final. A chefe de serviço de farmácias do Hospital de Clínicas, Simone Mahmud, salienta que as caixas de medicamentos e as bulas não devem ser descartadas intactas para não serem aproveitadas em eventuais fraudes. Ainda que não haja uma legislação nacional sobre a destinação dos medicamentos, iniciativas voluntárias envolvendo farmácias, hospitais, clínicas e universidades são adotadas cada vez mais. Uma dessas ações é o programa Descarte Consciente, desenvolvido hoje nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal, Ceará, Pernambuco, Bahia e Espírito Santo. Fonte: Jornal do Comércio – RS


VER MAIS SOBRE: arquivo


Logotipo Ascoferj

INFORMA

A Ascoferj informa que está em regime semipresencial.

Segundas, quartas e sextas: atendimento presencial, das 12h às 17h
Terças e quintas: atendimento remoto, das 8h às 17h.

Telefones de todos os setores para contato:

– Financeiro – (21) 98272-2882
– Jurídico – (21) 98097-0092
– Regulatório – (21) 98272-2852
– Comunicação – (21) 98272-2867
– DAC/Cursos – (21) 98399-0146
– Central de Negócios – (21) 98293-1816
– Comercial – (21) 98097-0099
– Relacionamento – (21) 98145-2036

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.
×