fbpx
Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 13 de abril de 2009.

Muda composição de forças no mercado de genéricos

COMPARTILHE:

Gazeta Mercantil

A aquisição da Medley pela Sanofi-Aventis  mudou  a composição de forças no mercado brasileiro de genéricos . Com a compra, fechada pelo valor de € 500 milhões, o grupo farmacêutico francês assume a liderança do segmento na América Latina, atingindo uma participação de 12% no Brasil. Assim, amplia a presença do capital estrangeiro no mercado local de genéricos – ao lado da Sandoz/Novartis – área até agora dominada por empresas brasileiras como EMS, Eurofarma e Aché.
 
"Isso mostra a força do setor e também que o processo de inovação não está assim tão promissor", diz o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (Pró-Genéricos), Odnir Finotti. Segundo ele, com o vencimento de muitas patentes em um ritmo maior do que se consegue repor, muitos laboratórios se movimentam mais rapidamente para fazer aquisições na área de genéricos.
 
Recentemente, a Sanofi também comprou uma fabricante mexicana de genéricos, os laboratórios Kendrick, e adquiriu por US$ 2 bilhões a produtora tcheca de medicamentos genéricos Zentiva, pulando da 23ª para 11ª posição entre os maiores fabricantes desse tipo de remédio no mundo.
 
"Esse movimento já era esperado até porque empresa de genérico é geradora de caixa", afirma o sócio da Mussolini Assessoria em Negócios, Nelson Mussolini.
 
Para Mussolini e Finotti, exatamente por isso, o mercado de genéricos deve assistir a novas aquisições como esta. São esperados movimentos das gigantes mundiais, como a israelense Teva e da indiana Ranbaxy, que, segundo fontes do mercado, estuda expansão no mercado brasileiro. Tudo isso pode tornar cada vez mais distante o sonho do governo de criação de uma grande farmacêutica nacional. "Agora, o governo pode ajudar empresas nacionais a buscar oportunidades lá fora para ter acesso à novas tecnologias", diz Finotti.
 
"Essa aquisição satisfaz dois objetivos estratégicos: por um lado permite à Sanofi se fortalecer no segmento de medicamentos vendidos sob receita e por outro amplia consideravelmente a presença da empresa em um país emergente de rápido crescimento", disse o analista da corretora CM-CIC, Arsene Guekam
 
A Medley é a terceira maior farmacêutica do mercado brasileiro e líder em genéricos, com faturamento de R$ 458 milhões, dos quais mais de dois terços provenientes de sua atividade de genérico. Com um portfólio de 127 produtos, o laboratório brasileiro se preparou para acompanhar o vigoroso crescimento desse mercado, que só em 2008 registrou alta de 18,9%, com a comercialização de 277,1 milhões de unidades frente as 233 milhões do ano anterior. Juntas, as indústrias do segmento movimentaram US$ 2 bilhões no período, crescimento de 33% em relação a 2007, quando as vendas somaram US$ 1, 522 bilhão, conforme dados da Pró Genéricos. A avaliação de € 500 milhões incluiu a dívida de € 170 milhões, segundo um porta-voz da Sanofi, em Paris. Representantes da Medley e da Sanofi no País alegaram que não poderiam comentar a aquisição.
 
Marketing esportivo
 
A venda da Medley deve ter impacto também no cenário es


VER MAIS SOBRE: arquivo


Logotipo Ascoferj

INFORMA

A Ascoferj informa que está em regime semipresencial.

Segundas, quartas e sextas: atendimento presencial, das 12h às 17h
Terças e quintas: atendimento remoto, das 8h às 17h.

Telefones de todos os setores para contato:

– Financeiro – (21) 98272-2882
– Jurídico – (21) 98097-0092
– Regulatório – (21) 98272-2852
– Comunicação – (21) 98272-2867
– DAC/Cursos – (21) 98399-0146
– Central de Negócios – (21) 98293-1816
– Comercial – (21) 98097-0099
– Relacionamento – (21) 98145-2036

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.
×