Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 9 de outubro de 2009.

Selo de Qualidade do CRF-SP identifica cursos de excelência no ensino farmacêutico

COMPARTILHE:

RP1 Comunicação

O pioneirismo do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo (CRF-SP) e a preocupação com a melhoria da formação profissional foram ratificados por meio criação do Selo de Qualidade em Educação Farmacêutica. O selo foi criado em cima de critérios rigorosos. Como conseqüência, muitas universidades tiveram que se adaptar e melhorar seus padrões de ensino para atender aos níveis exigidos. Somente após nove meses de seu lançamento, a primeira instituição conseguiu ser contemplada com o selo.

A certificação propõe um detalhamento minucioso dos indicadores o que torna os critérios exigidos pelo CRF-SP mais rígidos que outras avaliações, que não conseguem pontuar profundamente questões importantes para a formação profissional, que priorizam apenas o conhecimento teórico, sem preocupações com a formação prática. Assim, uma instituição que oferece um curso muito teórico, sem investir em laboratórios e aulas práticas, não conseguiria obter o Selo de Qualidade em Educação Farmacêutica do CRF-SP, pois não desenvolve habilidades praticas em seus estudantes. Assim, com o tempo, os selos de qualidade educacionais emitidos por órgãos de classe,se tornarão referências de escolha para a sociedade. Essas certificações contribuem para o desenvolvimento e melhoria da qualidade no ensino farmacêutico,

Nesse sentido, o Curso de Farmácia da Universidade Anhembi Morumbi foi o primeiro a atender os rigorosos critérios do CRF-SP, com suas melhores práticas de ensino, metodologias,inovadoras, excelência nos serviço de biblioteca, infraestrutura de ponta, simulação, análises clínicas, mini-indústria de medicamentos e cosméticos, a Farmácia Escola e o Centro de Informações sobre Medicamentos e Cosméticos (CIMAM). A elevada qualificação dos professores foi o ponto forte da universidade que possui mais de 2/3 de seu quadro docente composto de doutores, muitos com experiência internacional.

Também foram avaliados critérios como número e qualidade das aulas práticas, projeto pedagógico, carga horária, projetos sociais, responsabilidade social e ambiental, ética, habilidade técnicas desenvolvidas durante o curso, dentre outras. Além de uma auditoria minuciosa, todos os documentos são confrontados com depoimentos de estudantes, professores e colaboradores para comprovar a veracidade de todos os fatos. O período de vigência da certificação é de três anos. Após esse período, a instituição passa por nova auditoria para ratificar, manter ou até cancelar o selo.

Com o rigor adotado, supõe-se que poucas universidades conseguirão atingir todos os itens exigidos para obter o selo a curto prazo. Para a profissão farmacêutica este é um marco que representa a orientação para a melhoria da formação profissional e uma garantia de qualidade que inibirá atitudes que buscam confundir a sociedade. Aos formandos de um curso que possui o selo do CRF fica um diferencial de carreira que os identificará por toda trajetória profissional. Agora cabe à sociedade identificar as instituições que realmente possuem a excelência no ensino farmacêutico.

Geraldo Alécio de Oliveira, coordenador do curso de Farmácia da Universidade Anhembi Morumbi.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.