fbpx
Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 8 de janeiro de 2014.

Vendas de medicamentos continuarão em alta

COMPARTILHE:

As vendas de medicamentos no Brasil deverão continuar firmes em 2014, mas a rentabilidade dos laboratórios que atuam no país deverá cair, segundo informa o presidente executivo do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos do Estado de São Paulo (Sindusfarma), Nelson Mussolini. A expectativa é de que o setor cresça entre 12% e 13% em receita este ano, para R$ 56 bilhões, se confirmadas as estimativas. No ano passado, a receita bruta do setor foi de R$ 49,6 bilhões. Para o próximo ano, a expansão poderá ser acima de dois dígitos, impulsionada pelos genéricos. "A indústria farmacêutica continuará crescendo. Em 2013, o setor cresceu o equivalente a cinco vezes o Produto Interno Bruto (PIB), mas o que preocupa mesmo é a rentabilidade para o próximo ano", afirma Mussolini. Segundo ele, os custos de produção de medicamentos ficaram mais altos. "A mão de obra está mais cara. O dissídio da categoria ficou em 8,5% este ano. Além disso, o setor tem seus preços regulados. O reajuste médio este ano ficou em 4,54%, bem abaixo dos custos de produção", diz o executivo. Fonte: Diário do Comércio


VER MAIS SOBRE: arquivo


Logotipo Ascoferj

INFORMA

A Ascoferj informa que estará trabalhando de forma semipresencial no mês de fevereiro.

 

Segundas, quartas e sextas: atendimento presencial na sede de 8h às 17h.

Terças e quintas: atendimento remoto de 8h às 17h.

Telefones de todos os setores para contato:

– Financeiro – (21) 98272-2882
– Jurídico – (21) 98097-0092
– Regulatório – (21) 98272-2852
– Comunicação – (21) 98272-2867
– DAC/Cursos – (21) 98399-0146
– Central de Negócios – (21) 98293-1816
– Comercial – (21) 98097-0099
– Relacionamento – (21) 98145-2036

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.