Mitos e verdades em torno da perda auditiva

Perda auditiva
Foto: frepik
Perda auditiva
Foto: frepik

A perda de audição pode ser causada por diversos fatores, como envelhecimento, hereditariedade, uso frequente de medicamentos ototóxicos e hábitos ruins adquiridos ao longo da vida, como o excesso de som em alta intensidade.

A exposição frequente a sons elevados, seja em casa, nas ruas, no carro, no trabalho, nos transportes públicos, é um grande risco para a audição. A fonoaudióloga e gerente de Audiologia Corporativa na Telex Soluções Auditivas, Marcella Vidal, analisou os principais mitos e verdades quando se trata de saúde auditiva. Leia:

1 – Escutar música alta em fones de ouvido pode causar perda auditiva

Verdade. A especialista explica que a perda auditiva ocorre porque o hábito frequente de ouvir música em fones de ouvido com o som muito alto pode causar danos às células ciliadas, responsáveis pela audição.

2 – Cera em excesso na orelha pode deixar surdo

Mito. O acúmulo de cera pode impedir o som de chegar ao tímpano, mas não causa surdez. Removendo o excesso de cerume, é possível ouvir normalmente. Contudo, é necessário ter atenção com o uso das hastes de algodão flexíveis para não danificar o tímpano.

3 – Zumbido e sensação de tontura podem ser sintomas de perda auditiva

Verdade. O ideal é procurar um médico otorrinolaringologista para ter o diagnóstico correto e saber o tipo de tratamento, que pode incluir prótese auditiva.

4 – Perda auditiva não tem solução

Mito. Em grande parte dos casos, a dificuldade para ouvir pode ser tratada com o uso de aparelhos auditivos, adequados para cada grau de perda auditiva.

5 – Infecção no ouvido pode causar perda de audição

Verdade. As infecções no ouvido – otites –, podem trazer transtornos caso ocorram repetidas vezes e sejam tratadas de forma errada. Atenção às crianças, mais suscetíveis a inflamações.

6 – Perda auditiva pode começar bem antes da terceira idade

Verdade. A diminuição auditiva relacionada ao envelhecimento, com a redução progressiva do número de células auditivas, começa aproximadamente aos 40 anos. “O primeiro sinal de que a audição não é mais a mesma vem quando a pessoa passa a ter dificuldade para entender o que os outros estão falando. Na maioria das vezes, o indivíduo perde a audição primeiro das frequências mais agudas, mas não percebe o problema porque continua a ouvir as frequências mais graves normalmente e tende a apresentar um bom desempenho auditivo, sem dificuldades, nos ambientes mais silenciosos. E esse é um dos motivos que fazem com que as pessoas demorem a procurar a ajuda de um especialista”, finaliza Vidal.

Veja também: Teuto lança medicamento indicado para terapia anticoagulante

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Receba as principais notícias direto no celular

Sala de imprensa

Esta é uma área dedicada especialmente para o atendimento à imprensa e com acessos aos nossos releases.

Receba nossa newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

Um programa para você ficar sempre bem informado

Talvez se interesse por:

Logotipo Ascoferj

INFORMA

A Ascoferj informa que está em regime semipresencial.

Segundas, quartas e sextas: atendimento presencial, das 8h às 17h
Terças e quintas: atendimento remoto, das 8h às 17h.

Telefones de todos os setores para contato:

– Financeiro – (21) 98272-2882
– Jurídico – (21) 98097-0092
– Regulatório – (21) 98272-2852
– Comunicação – (21) 98272-2867
– DAC/Cursos – (21) 98399-0146
– Central de Negócios – (21) 98293-1816
– Comercial – (21) 98097-0099

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.
×