Pular para o conteúdo

Coronavírus


icone de categorias Coronavírus | Notícias icone de data de publicação 6 de maio de 2020.

Governo do RJ publica nova lei sobre entregas em domicílio

COMPARTILHE:

Entregas em domicílio Foto: freepik

No último dia 30/4, foi publicada pelo governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, a Lei Estadual nº 8.799/2020, que trata da entrega de produtos em domicílio (delivery), incluindo medicamentos e correlatos, durante a pandemia da covid-19.

O que diz a lei estadual

Segundo a lei, todos os estabelecimentos fornecedores, entre eles farmácias e drogarias, as empresas responsáveis pelo serviço de entrega e os condomínios precisarão adotar medidas de controle e disponibilizar material de higienização para que a entrega na porta do cliente possa ser realizada com segurança.

Os condomínios também precisarão zelar pela segurança dos porteiros, seguranças e vigias durante o recebimento das entregas, garantindo que seja mantida a distância de 1,5m dos entregadores, e também prover meios para higienização das mãos dos funcionários, seja com álcool em gel 70º, seja com água corrente e sabonete.

Entrega em domicílio

O texto também informa que os pagamentos do delivery devem ser preferencialmente efetuados remotamente por aplicativo ou telefone, evitando assim maior contato com o entregador. Muitos aplicativos já permitem a entrega “sem contato físico”, em que o entregador deixa o pedido na porta da residência do cliente.

Dever dos estabelecimentos

A lei determina que todos os estabelecimentos que estejam efetuando a entrega em domicílio deverão obedecer às boas práticas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que inclui a constante assepsia das torneiras, pias, maçanetas, talheres, copos, pratos, balcões, paredes, banheiros, caixas, máquinas de pagamento, entre outros.

Além disso, deverão disponibilizar equipamento de proteção individual (EPI) e antissépticos, à base de álcool ou sabonete, para todos os trabalhadores.

Os locais que descumprirem as normas da lei estarão sujeitos à multa no valor de 200 UFIR-RJ por cada infração, e o valor será revertido à Secretaria de Estado de Saúde.

Veja também: Há venda casada entre o varejo e o fornecedor?


VER MAIS SOBRE: Coronavírus / Covid-19 / delivery / Entrega em domicílio / Lei Estadual 8.799/2020 / Rio de Janeiro


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.