Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 10 de julho de 2014.

Amenizar o desconforto das agulhas no dia a dia dos diabéticos está mais próximo

COMPARTILHE:

Amenizar o desconforto das agulhas no dia a dia dos diabéticos é um antigo desafio da indústria farmacêutica que está mais próximo de se tornar realidade. Aprovada pela Agência de Alimentos dos Estados Unidos (FDA), a insulina inalada tem previsão de ser comercializada a partir de 2015 nos EUA e em 2016 no Brasil. A medicação, aplicada por aparelhos semelhantes às bombinhas para asma, substitui a injeção de insulina de rápida absorção, que costuma ser aplicada de três a cinco vezes ao dia, sempre antes das refeições, por quem tem diabetes tipo 1. Assim como a injetável, na inalação, os níveis de insulina são alcançados de 12 a 15 minutos após a administração, segundo o laboratório MannKind. Para o endocrinologista e presidente do departamento de Diabetes da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), Balduíno Tschiedel, a aprovação do órgão americano representa um grande avanço no tratamento. Entretanto, não livra totalmente os pacientes das picadas porque há dois tipos necessários de injeção, e a bombinha só substitui um deles. “A injeção de efeito lento, que é aplicada em torno de duas vezes ao dia, deve continuar sendo aplicada mesmo com a insulina inalada”, explica o especialista. Fonte: Zero Hora


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.