Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 30 de março de 2010.

Anvisa aumenta controle sobre prescrição da sibutramina

COMPARTILHE:

Ascoferj e Anvisa

Os medicamentos que contêm a substância emagrecedora sibutramina terão um controle maior de prescrição e venda a partir desta terça-feira (30). A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou uma resolução (RDC 13/2010) que remaneja a substância da lista C1 para a Lista B2 dos medicamentos sujeitos à controle especial (Portaria 344/98).

Com a mudança, a sibutramina passar a ser classificada como psicotrópico anorexígeno e a tarja do medicamento muda de vermelha para preta. Além disso, esses medicamentos só poderão ser vendidos com receituário azul (em que a numeração é fornecida pela vigilância sanitária). Até então, a sibutramina era comercializada com receita branca, que não é numerada pela autoridade sanitária.

As empresas detentoras de registro de medicamentos a base de sibutramina terão prazo de 180 dias para fazer as alterações necessárias nas bulas e embalagens.

A farmacêutica, empresária e diretora do Núcleo Ascoferj Região Noroeste, Bettssabá Gonçalves, não vê muita eficiência na medida adotada pela Anvisa. Segundo ela, a sibutramina não é um anorexígeno para ser incluída na lista B2 da Portaria 344/98. “A substância não causa dependência química nem crises de abstinência. Acho que isso vai complicar a vida do paciente que precisa tratar a obesidade porque, acredite, os médicos de Itaperuna dizem que têm muita dificuldade em conseguir o receituário B2”, comentou. Bettssabá também questiona os critérios utilizados pela Anvisa para tomar essa decisão. “Se foi apenas o estudo europeu que apontou para riscos cardíacos, acho insuficiente. Não tenho nenhum paciente que tenha tido problemas de pressão alta por conta da sibutramina”, disse.

“Apesar de depender das vendas para manter o meu negócio, medicamento é para ser usado quando há necessidade e não por uma questão estética, como vem ocorrendo. Minhas vendas de sibutramina são muito altas. Quem está consumindo realmente precisa?”, questiona o farmacêutico, empresário e diretor da Ascoferj, Ricardo Valdetaro. Ele apoia a medida da Anvisa e acha que a limitação da venda vai reduzir o consumo inadequado.

A sibutramina foi desenvolvida na década de 80 como antidepressivo, e age em áreas do cérebro que controlam não somente o humor e sensação de bem estar, como também o apetite. Como promove uma sensação de saciedade alimentar, é indicada no tratamento da obesidade ou quando a perda de peso está clinicamente indicada. É encontrada principalmente sob a forma do sal Cloridrato de Sibutramina e, no Brasil, está disponível no mercado nas concentrações de 10mg e 15mg na forma industrializada, além das formulações manipuladas em farmácias magistrais.

Histórico
Em janeiro deste ano, a Anvisa divulgou um


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.