Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 29 de novembro de 2010.

Anvisa rebate afirmação de que etiqueta irá inflacionar preço de medicamentos

COMPARTILHE:

UOL

“A divulgação do setor produtivo de que o selo da Anvisa vai inflacionar o preço dos medicamentos, sem garantir a rastreabilidade e autenticidade é uma grande inverdade”. A afirmação é da própria Agência Nacional de Vigilância Sanitária em resposta a comunicado do Sindusfarma (Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo), que dizia que o consumidor e o sistema público de saúde teriam um prejuízo de R$ 400 milhões, por conta da adoção da etiqueta de segurança nos remédios comercializados no País.

De acordo com a Anvisa, se há motivos para que o setor esteja preocupado com a implantação da etiqueta, isso não tem relação com a eficiência e o custo da tecnologia, pois estes pontos foram amplamente discutidos com setor produtivo e com a sociedade.

Segundo a Anvisa, o preço dos medicamentos não deve subir com a etiqueta, pois o aumento é regulado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos e o reajuste de preço de medicamento no país é autorizado somente uma vez por ano.

Além disso, de acordo com a Agência, não devem subir os gastos do governo, pois, segundo a legislação da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos, “em qualquer operação de venda efetivada pelas empresas produtoras de medicamentos ou pelas distribuidoras, destinada tanto ao setor público como ao setor privado, deverá ser respeitado, para venda, o limite do preço fabricante. As compras públicas continuarão obedecendo ao limite do preço fabricante”.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.