Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 26 de agosto de 2014.

Ascoferj participa de palestra com foco no descarte correto de medicamentos

COMPARTILHE:

""   O presidente da Ascoferj, Luis Carlos Marins, e o consultor jurídico da entidade, Gustavo Semblano, assistiram à palestra “Descarte de medicamentos sujeitos ao controle especial pelos estabelecimentos de comércio farmacêutico no município de Niterói“, organizada pelo Departamento de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses (Devic), no dia 25 de agosto, na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). O objetivo do encontro foi capacitar os profissionais farmacêuticos que atuam nas farmácias e drogarias para o descarte correto dos medicamentos sujeitos a controle especial e também atualizar o público sobre a implantação do sistema de logística reversa de resíduos de medicamentos no Brasil. A chefe da Seção de Medicamentos e Correlatos do Devic, Deuseli Quaresma de Figueiredo, iniciou a palestra frisando a importância de se fazer o descarte de maneira consciente. “Isso vai ajudar a minimizar alguns riscos que podem causar mal tanto à saúde da população como ao meio ambiente”. Além disso, falou que as farmácias e drogarias devem gerenciar seus estoques para que não existam sobras de produtos. Ao longo de sua apresentação, Deuseli lembrou algumas legislações e normas que favoreceram o descarte correto, como a Lei Estadual nº 6.635/2013, que dispõe sobre o gerenciamento dos resíduos sólidos hospitalares e dos serviços de saúde, e a Resolução Conama nº 358/2005, que estabelece regras para descarte etratamento de resíduos. O farmacêutico e especialista em Citologia, João Carlos Gomes, falou sobre o Plano de Gerenciamento de Resíduos e esclareceu dúvidas dos participantes. Ele indicou a leitura do  Manual de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). De acordo com Gomes, o Manual auxilia no cumprimento do que determina a Resolução RDC nº 306/2004, da Anvisa, que dispõe sobre o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde, e também contribuiu para reduzir os riscos sanitários e ambientais do País. Em seguida, Deuseli falou um pouco sobre a situação atual da logística reversa de resíduos de medicamentos. “O setor farmacêutico enviou três sugestões de propostas a serem analisadas pelo corpo técnico do Ministério do Meio Ambiente. Ressalto que, se nenhuma delas for aprovada, o Poder Público terá que legislar sobre o assunto”, disse. Marins aproveitou a ocasião para citar a iniciativa da Ascoferj em criar um grupo de trabalho com representantes de diversas entidades do segmento para discutir o tema e elaborar propostas. “Infelizmente, o trabalho ficou impedido de seguir adiante, visto que a indústria não compareceu aos encontros. Foi uma situação desconfortável, pois estávamos nos dedicando a uma questão que envolve todos os parceiros da cadeia, inclusive o setor industrial”, acrescentou Marins.  Comunicação Ascoferj


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.