Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 5 de abril de 2011.

BNDES financia projetos do Cristália

COMPARTILHE:

Fator Brasil

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 77,2 milhões para o Laboratório Cristália, no âmbito do Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde (Profarma – Inovação). O programa prevê contribuir para o desenvolvimento de novos produtos farmacêuticos e para a expansão da oferta nacional de medicamentos de maior valor agregado, reduzindo a vulnerabilidade do sistema nacional de saúde e aumentando a capacitação tecnológica brasileira, inclusive no segmento da biotecnologia.

De acordo com nota do banco, a operação, aprovada pelo BNDES, fomentará a pesquisa e o desenvolvimento de novos produtos farmacêuticos, incluindo medicamentos de base biotecnológica, e permitirá a ampliação do portfólio do Cristália, com a inclusão de medicamentos mais modernos e específicos, a preços competitivos.
Os projetos do Cristália, que serão financiados pelo BNDES, são os seguintes: 1 – Hormônio do Crescimento- Por meio de engenharia genética e fermentação microbiana, o laboratório está desenvolvendo tecnologia de uma rota biotecnológica para produção do Hormônio do Crescimento Humano Recombinante (rhGH) para terapias de reposição hormonal. Com isso, será possível substituir as importações do produto (de alto valor agregado) por um equivalente nacional, possibilitando, assim, uma economia de divisas para o país e a ampliação, a preços competitivos, da oferta desse medicamento aos usuários do SUS e ao mercado privado.

2 – Colagenase- O objetivo é desenvolver tecnologia nacional de produção de colagenases para uso tópico, reduzindo as importações do produto e ampliando a oferta. Empregada em cicatrizações, as colagenases produzidas aqui permitirão o desenvolvimento de produtos derivados destinados a tratamentos que envolvam terapia celular.

3 – DMA- O Cristália vai desenvolver o medicamento indicado para o tratamento da obesidade, síndrome metabólica, diabetes, dislipidemias e aterosclerose.

4 – Peptídeos- Moléculas pequenas formadas pela combinação de até 20 aminoácidos, os peptídeos farmacologicamente ativos têm um vastíssimo e ainda inexplorado potencial de utilização em medicina. Atento a essas tendências, o laboratório – que possui dois projetos de medicamentos com princípios peptídicos, identificados a partir de estudos realizados com animais peçonhentos da fauna brasileira – irá se capacitar para a síntese de peptídeos.

5 – Nicotina Transdérmica- A produção no Brasil de sistemas transdérmicos de liberação de fármacos para tratamento de tabagismo – produto de alto valor agregado – substituirá as importações por um equivalente nacional, possibilitando, assim, uma economia de divisas ao país.

6 – Ácido Hialurônico- A produção nacional do ácido hialuriônico (AH) permitirá a sua utilização em aplicações médicas, tais como substitutivo ou suplemento de tecidos corporais fluidos em artrite reumatoide (ex.: sinovial e peritoneal), no preenchimento e na produção de membranas para curativos (ex.: membranas para ulceração em diabéticos), para alívio da dor, em cirurgias plásticas (estética) e no desenvolvimento de medicamentos micro e nanoencapsulados para a liberação controlada de fármacos.

7 – Análogos de Lidocaína- O projeto desenvolverá medicamento composto por princípio ativo análogo de lidocaína, que têm ação antiasmática graças às suas propriedades anti-inflamatórias e antiespasmódicas.

8 – Matriz de Liberação Bucal- O projeto beneficiará pessoas que apresentam dores fortes e de início agudo – em geral portadores de dor crônica, como pacientes de câncer – e possibilitará uma alternativa à analgesia imediata pela via intravenosa, que nem sempre está disponível para abreviar o sofrimento intenso desses pacientes.

O primeiro produto a ser desenvolvido será o filme do citrato de fentanila, que, quando administrado pelas mucosas nasal ou sublingual, atinge circulação muito mais rapidamente do que outras formas de aplicação, como a espinhal, transdérmica ou mesmo algumas parenterais. Esses pacientes são geralmente tratados com morfina por via oral, o que controla a dor crônica. Porém, é comum que essa dor piore intensamente em alguns momentos do dia, e nem todos os pacientes podem receber injeção intravenosa que oferece o alívio. Por isso, a maioria dos pacientes trata sua dor aguda por via oral e sofre com ela por mais tempo.

9 – Matriz de Liberação – Implante Subcutâneo – O projeto desenvolverá sistema biodegradável sólido (implante) de administração subcutânea de naltrexona obtida a partir de copolímeros dos ácidos lático e glicólico. Esse implante deverá converter a naltrexona de uso oral administrada em comprimidos diários para uma apresentação de depósito com apenas uma injeção mensal, permitindo o tratamento de pacientes com alcoolismo, toxicomania (dependência em cocaína e heroína) e jogos patológicos (persistência e recorrência do comportamento de apostar em jogos de azar).

10 – Matriz de Liberação – Implante Intraocular- O Cristália desenvolverá tecnologia para obtenção de implantes intraoculares biodegradáveis utilizando como princípios ativos corticosteroides e imunossupressores. Facilmente implantando em poucos minutos de procedimento, esse sistema intraocular proporciona inúmeras vantagens, como aumento da biodisponibilidade e da concentração local da droga, alcance de determinado tipo de tecido ou célula específica e redução da frequência de injeções intraoculares, aumentando o conforto do paciente e evitando complicações associadas a esse tipo de procedimento. A tecnologia, com custos compatíveis com a situação econômica do país, também poderá ser utilizada para o desenvolvimento de matrizes de liberação intraoculares contendo moléculas inovadoras e as demais classes terapêuticas utilizadas no tratamento de doenças oculares.

11 – Sílica Mesoporosa- O projeto visa à obtenção de um composto que atue como adjuvante para melhorar a capacidade imunogênica de vacinas, aumentando assim sua eficácia e o número de pessoas protegidas contra as patologias. A sílica mesoporosa é uma adjuvante que potencializa a imunogenicidade de um dado antígeno, o que amplia e melhora a duração da resposta imune específica.

Perfil do Cristália- Laboratório químico-farmacêutico de capital 100% nacional, o Cristália foi fundado em 1972, em Itapira, interior de São Paulo. Com mais de 2.100 funcionários distribuídos em três unidades fabris e uma administrativa, é líder na produção e na comercialização de anestésicos e adjuvantes de anestesia na América Latina, com destaque também nos segmentos de Psiquiatria, Neurologia, Cosmecêutica, Dor e Saúde Masculina.

Único laboratório instalado no Brasil que produz medicamentos para o Programa Anti-Aids – da matéria-prima (princípio ativo) ao produto acabado – é detentor do maior número de patentes de inovação do país (28 e mais de 100 pedidos depositados). O laboratório conta com 120 cientistas, entre mestres e doutores, um Centro de Pesquisa de Desenvolvimento e Inovação e exporta, regularmente, princípios ativos e produtos acabados para mais de 30 países, em especial para a América Latina e a Ásia.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.