Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 11 de janeiro de 2011.

Boehringer Ingelheim e Eli Lilly anunciam aliança estratégica global em novos tratamentos para diabetes

COMPARTILHE:

Assessoria de Imprensa

•nnnnnO acordo sobre os principais tratamentos para diabetes está focado em quatro compostos em desenvolvimento, que representam algumas das maiores e mais promissoras classes terapêuticas
•nnnnnAs duas empresas irão desenvolver e comercializar em conjunto um pipeline de medicamentos de uso oral para diabetes e análogos basais da insulina. O acordo também inclui a opção de codesenvolvimento e comercialização em parceria, de um anticorpo monoclonal anti-TGF-beta
•nnnnnO pipeline da Boehringer Ingelheim de produtos inovadores para diabetes em fase adiantada de desenvolvimento impulsiona o avanço da empresa na nova área terapêutica, suplementado pelos dois análogos basais da insulina, que estão atualmente em fase de desenvolvimento no laboratório Lilly
•nnnnnO acordo aumenta o compromisso da Lilly em oferecer um dos mais amplos portfólios em termos de cuidados para o diabetes e, em parceria com a inovação da Boehringer Ingelheim, proporcionará mais opções de tratamentos do diabetes

Ingelheim/Alemanha e Indianapolis/EUA – A Boehringer Ingelheim e a Eli Lilly and Company (Bolsa de Nova York: LLY) anunciaram hoje um acordo global para desenvolver e comercializar em conjunto um portfólio de produtos para diabetes, atualmente em desenvolvimento. Dentre estes produtos, estão duas substâncias pioneiras de uso oral para diabetes da Boehringer Ingelheim – Linagliptina e BI10773 – bem como dois análogos basais de insulina da Lilly – LY2605541 e LY2963016, além da opção de desenvolver e comercializar em conjunto um anticorpo monoclonal anti-TGF-beta da Lilly.

A Linagliptina é um inibidor da dipeptidil peptidase-4 (DPP-4) descoberto pela Boehringer Ingelheim e em fase de desenvolvimento na forma de comprimidos de uso oral, dose única diária, para o tratamento do diabetes tipo 2. Está atualmente em fase de avaliação pelos órgãos reguladores dos EUA, Europa, Japão e Brasil.

O BI10773, também da Boehringer Ingelheim, é uma nova molécula inibidora do co-transportador de glicose dependente do sódio (SGLT-2); a empresa iniciou o recrutamento de pacientes para os estudos clínicos Fase III em 2010. Este produto pertence a uma nova classe terapêutica emergente de produtos para diabetes que bloqueiam a reabsorção tubular da glicose nos rins, que ainda não foram aprovados pelos órgãos reguladores.

Os dois produtos da Lilly, análogos da insulina basal, deverão entrar nos testes clínicos de Fase III em 2011. Esses dois produtos da Lilly são: LY2605541, um análogo basal da insulina estruturalmente novo, e o LY2963016, um novo produto de insulina glargina. O acordo entre as empresas oferece também uma opção para a Boehringer Ingelheim desenvolver e comercializar em conjunto outra molécula da Lilly para o diabetes, um anticorpo monoclonal anti-TGF-beta que está atualmente em testes clínicos Fase II em pacientes com diabetes e doença renal crônica.

Esta aliança aproveitará a experiência científica e a capacidade de negócios de duas das mais importantes empresas farmacêuticas voltadas para a pesquisa, para fazer frente às necessidades emergentes dos pacientes diante da crescente epidemia global de diabetes.

“A Boehringer Ingelheim e a Lilly concordaram em formar uma aliança estratégica para diabetes no momento em que nós, da Boehringer Ingelheim, estamos ingressando em uma nova área terapêutica com produtos inovadores oriundos de nossa Pesquisa e Desenvolvimento. Esta colaboração trará para a Boehringer Ingelheim e a Lilly os benefícios conjuntos da experiência da Lilly no mercado do diabetes, além de dois análogos da insulina basal, bem como os produtos do inovador pipeline da Boehringer Ingelheim, em estágios avançados de desenvolvimento” afirmou o Prof. Andreas Barner, Presidente do Conselho de Administração da Boehringer Ingelheim.

“Estamos bastante empolgados com esta nova e ampla aliança com a Boehringer Ingelheim, com a qual já trabalhamos no passado,” afirmou John C. Lechleiter, Ph.D., Presidente e CEO do Laboratório Lilly. “Neste esforço conjunto, teremos um dos pipelines de produtos para diabetes mais fortes no setor farmacêutico. Para a Lilly, esta aliança expande a nossa faixa de ofertas para indivíduos diabéticos, reforça a nossa capacidade de cuidar do diabetes e oferece a perspectiva de oportunidades de retornos financeiros a curto prazo, numa época em que teremos que enfrentar a perda de patente de vários de nossos produtos.”

De acordo com o contrato, a Lilly efetuará um pagamento inicial único de €300 milhões à Boehringer Ingelheim. A Boehringer Ingelheim poderá receber um total de até €625 milhões nas etapas regulatórias bem-sucedidas para linagliptina e BI10773. A Lilly estará apta a receber um total de $650 milhões de dólares nas etapas regulatórias bem-sucedidas para seus dois análogos da insulina basal. Caso a Boehringer Ingelheim decida pela participação no desenvolvimento de Fase III e possível comercialização do anticorpo monoclonal anti-TGF-beta, a Lilly poderá receber até 525 milhões de dólares nas etapas regulatórias bem-sucedidas.

As empresas dividirão de forma equânime os custos de desenvolvimento em andamento. Após registro de qualquer produto oriundo desta aliança, as duas empresas compartilharão igualmente dos custos e margens brutas da comercialização do produto. Cada empresa também terá o direito de obter pagamentos pelo desempenho potencial das vendas das moléculas com as quais elas contribuem para a aliança.

Como resultado desta transação, a Lilly espera em 2011 uma diluição do lucro por ação na faixa de $0,45-$0,50, inclusive um custo de aproximadamente $0,27 por ação, relativo ao pagamento em parcela única. Assumindo um lançamento com sucesso da Linagliptina, a Lilly antecipa uma diluição significantemente menor em 2012 e 2013, nenhuma diluição e até um pequeno acréscimo em 2014, com acréscimos mais significantes em 2015 e anos sucessivos. O impacto financeiro desta transação no ano de 2011 estará refletido nas diretrizes financeiras da Lilly para o ano, que serão informadas como parte dos resultados financeiros do quarto trimestre e de todo o ano de 2010, a serem anunciados em 27 de janeiro de 2011.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.