Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 16 de maio de 2011.

Droga Raia eleva receita bruta no primeiro trimestre

COMPARTILHE:

Guia da Farmácia

Com 353 lojas, empresa registra crescimento de 68,4% no Ebitda e de 28,1% no lucro bruto, em relação ao mesmo período de 2010

A Droga Raia encerrou o primeiro trimestre de 2011 com receita bruta de R$ 507,1 milhões, um incremento de 22% na comparação com o mesmo período do ano passado. Mesmo utilizando como base de comparação somente as lojas que já estavam em operação no primeiro trimestre de 2010, as vendas tiveram crescimento de 10,9%.

O grande destaque no período foi o aumento de 27,8% na comercialização de genéricos, impulsionado principalmente pelo lançamento de novos produtos a partir do final de 2010 e pela melhoria da divulgação dessa classe de medicamentos nas lojas.

As vendas de produtos de higiene e beleza também registraram elevação relevante (de 21,3% sobre o mesmo período do ano anterior), motivada pelo crescimento do mercado e pela execução de sólidas práticas promocionais em lojas.

O Ebtida (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Droga Raia no primeiro trimestre de 2011 alcançou cerca de R$ 22,4 milhões, com crescimento de 68,4% sobre o mesmo período de 2010.

A margem Ebitda também subiu, chegando a 4,4% sobre a receita bruta, 1,2 ponto percentual a mais do que no mesmo período de 2010. O trimestre combinou a retomada do crescimento da venda nas mesmas lojas e nas lojas maduras, aliada a uma importante expansão da margem bruta, que foi integralmente repassada ao resultado, além de um cenário neutro de despesas, no qual a elevação nas despesas com vendas foi compensado pela diluição nas despesas corporativas, o que resultou nesta elevação significativa de rentabilidade.

O lucro bruto cresceu 28,1% sobre o mesmo período de 2010, totalizando R$ 128,5 milhões, enquanto a margem bruta atingiu 25,3% da receita bruta, com incremento de 1,2 ponto percentual sobre o 1T10 e de 0,8 ponto percentual sobre o último trimestre de 2010.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.