Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 2 de setembro de 2010.

Empresa decide ficar em Itatiaia

COMPARTILHE:

Diário do Vale

A BioChimico comunicou à prefeitura que não mais encerrará suas atividades em Itatiaia, como estava previsto no ano passado, e que continuará mantendo seus 106 funcionários. A empresa, fabricante de medicamentos, planejava deixar o município porque estava perdendo receita por causa do custo de até 10% maior de seus produtos, por não ter o mesmo benefício fiscal concedido pelo governo estadual a um concorrente no norte fluminense.

De um faturamento de mais de 101 milhões em 2007, a empresa despencou para R$ 33 milhões no ano passado, o que fez com que sua diretoria decidisse se transferir para um outro município que oferecesse o incentivo fiscal que não conseguia em Itatiaia. A prefeitura interveio, e a empresa conseguiu o benefício tributário especial, por meio de decreto assinado pelo governador Sérgio Cabral (PMDB).

– Com certeza o número de empregos cairia, já que o incentivo estava sendo concedido em outras cidades e consequentemente beneficiando empresa do mesmo segmento, o que nos dava a desvantagem na conta final. Mas agora, com o benefício, a empresa continuará em Itatiaia e manterá o nível de empregos – garantiu a coordenadora de recursos humanos da BioChimico, Rosângela Leal.

O Instituto BioChimico Indústria Farmacêutica é uma tradicional empresa do Rio de Janeiro, fundada em 1925 e que desde junho de 1998 está em Itatiaia, ao lado do acesso a Penedo e às margens da Via Dutra, num terreno de mais de 270 mil metros quadrados e prédios com 5.297 m2 de área. A empresa importa, produz e comercializa antibióticos carbapenêmicos e cefalosporínicos, e atua diretamente com os hospitais, não comercializando seus produtos em farmácias de varejo. Em Itatiaia está a sede administrativa da empresa, o laboratório de controle de qualidade físico, químico e biológico, a embalagem, almoxarifado e expedição dos medicamentos, além da produção de anestésicos inalatórios.

O Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico de Itatiaia, Denilson Sampaio, contou que soube do problema da BioChimico em janeiro do ano passado, quando esteve na empresa para se apresentar como integrante do novo governo de Luis Carlos Ypê. Ciente do problema e da decisão da indústria farmacêutica de deixar o município, o secretário iniciou contatos com o governo estadual para tentar resolver a questão. Nas várias reuniões que fez com Julio César Bueno, Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Denilson apresentou sugestões de modificação da lei 4.533/05, que concedia o benefício fiscal para a concorrente da BioChimico, uma empresa localizada em Campos, no norte fluminense. Aceita a sugestão, a modificação foi enviada para os deputados, que a aprovação em sessão na Assembléia Legislativa do Estado do Rio (Alerj).

– Havia pelo menos um erro na lei, pois duas empresas concorrentes, do mesmo segmento e localizadas dentro do mesmo estado, tinham condições bastante diferenciadas de competição, pois uma tinha o benefício, e a outra não. Se isso continuasse, a empresa de Itatiaia, que não tinha o benefício, continuaria sendo prejudicada, e deixaria o município para ir para uma outra cidade que oferecesse o benefício, trazendo prejuízo de emprego e renda para Itatiaia – explicou Denilson, enfatizando que tudo só foi possível por causa do excelente relacionamento da prefeitura e do prefeito Luis Carlos Ypê com as autoridades do governo estadual e da Alerj.

O benefício tributário concedido à BioChimico é de dois por cento de crédito presumido de ICMS, nas operações de saídas por transferência e por venda de 17 medicamentos produzidos pela empresa e listados no decreto 42.588/10. A empresa também terá o benefício na importação ou compra no mercado interno de máquinas e equipamentos, e também de insumos destinados ao seu processo industrial, exceto para telecomunicações, água, energia e materiais secundários. Para continuar a ter o direito ao benefício, entretanto, a BioChimico não poderá ter passivo ambiental e nem ser inscrita em dívida ativa do estado do Rio, e também não poderá ter débito com a Fazenda Estadual, incluindo qualquer um de seus sócios ou outra empresa parceira. O benefício é válido por 25 anos. Nos próximos quatro anos, a BioChimico se comprometeu a investir em Itatiaia para um crescimento de pelo menos 20 por cento, aumentando o recolhimento de ICMS.

História

O Instituto BioChimico foi fundado no Rio de Janeiro, em meados de 1925, pelo renomado e conhecido farmacologista Paulo Proença. Pioneiros na época e de reconhecido sucesso, o instituto se transformou numa das mais tradicionais companhias farmacêuticas do Brasil.

No entanto, a tradição não impediu o progresso. O BioChimico rejuvenesceu nos últimos anos, atualizando seus profissionais e modernizando seus produtos, equipamentos, manufatura e processos de controle de qualidade.
No início de junho de 1998, a organização passou por uma profunda reestruturação administrativa. Uma nova diretoria assumiu o comando da empresa, agora com sede no município de Itatiaia, investindo na formação de uma nova equipe de profissionais, com larga experiência no mercado farmacêutico nacional.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Logotipo Ascoferj

INFORMA

A Ascoferj informa que estará trabalhando de forma semipresencial no mês de janeiro.

 

Segundas, quartas e sextas: atendimento presencial na sede de 8h às 17h.

Terças e quintas: atendimento remoto de 8h às 17h.

Telefones de todos os setores para contato:

– Financeiro – (21) 98272-2882
– Jurídico – (21) 98097-0092
– Regulatório – (21) 98272-2852
– Comunicação – (21) 98272-2867
– DAC/Cursos – (21) 98399-0146
– Central de Negócios – (21) 98293-1816
– Comercial – (21) 98097-0099

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.