Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 17 de novembro de 2010.

Empresas vão pagar R$ 800 milhões por novo selo

COMPARTILHE:

Guia da Farmácia

A indústria farmacêutica estima em R$ 800 milhões os custos que terá para adotar o novo selo de segurança criado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, o selo será produzido e distribuído pela Casa da Moeda e terá um código de barras bidimensional para armazenar informações. O prazo para implantação do sistema termina em 2012.

Cada selo custará R$ 0,10. A indústria farmacêutica vende cerca de 4 bilhões de caixas de medicamentos por ano. Os custos estimados pela indústria ainda incluem gastos com máquinas e a reorganização de suas linhas de produção.

Ainda segundo a reportagem, o vice-presidente-executivo do Sindicato da Indústria Farmacêutica do Estado de São Paulo (Sindusfarma), Nelson Nussolini, será o consumidor quem vai pagar essa conta. Para ele, os descontos que muitos laboratórios oferecem no varejo poderão ser reduzidos. A indústria propôs à Anvisa que os novos códigos de barras fossem impressos diretamente nas caixas dos remédios, o que tornaria os selos dispensáveis e os custos, bem menores.

Mas a Anvisa defendeu que só o selo da Casa da Moeda será capaz de garantir a autenticidade dos medicamentos.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.