Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 11 de abril de 2014.

Genéricos já somam 65% dos medicamentos mais prescritos no país

COMPARTILHE:

Pesquisa inédita da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos, a Progenéricos, que compilou o ranking dos 20 medicamentos mais prescritos no país entre fevereiro de 2013 e fevereiro de 2014, aponta que os genéricos já somam 13 produtos no ranking, o que corresponde a 65% do total. A pesquisa, que se baseou nos indicadores do Close Up,  instituto que audita receita médica no país, aponta ainda que todos os produtos prescritos pela marca já encontram cobertura no segmento de genéricos. “A pesquisa nos mostra que os genéricos hoje já são maioria nas prescrições, mas é importante ressaltar que a categoria de medicamentos está preparada para substituir todos os outros produtos em que o médico optou prescrever pela marca”, afirma Telma Salles, presidente executiva da PróGenéricos. A executiva ressalta que os genéricos já atendem mais de 95% das doenças catalogadas pelo Ministério da Saúde. Com preço 35% inferior aos produtos de referencia, como determina a lei, os genéricos são os únicos produtos que atualmente podem substituir os produtos de marca indicados nas receitas. Isso ocorre por que passam por testes que garantem qualidade, eficácia e segurança idênticas aos do produto inovador. A troca pelo genérico pode ser feita pelo farmacêutico e requisitada pelo consumidor. Expansão pela troca inteligente Graças à essa prerrogativa legal da intercambialidade (troca do produto de referência pelo genérico) é que os genéricos vem conquistando cada vez mais espaço no mercado brasileiro. Dados do IMS Health, instituto que audita as vendas do setor no varejo, apontam que os genéricos atingiram a marca histórica de participação de mercado no país em fevereiro: 28,2%. “Pesquisa do Datafolha demonstra que 58% da população brasileira considera os genéricos confiáveis, o que sustenta o argumento de que o genérico conquista espaço substituindo os produtos de referencia sem qualquer risco quanto à eficácia e segurança nos tratamentos”, afirma a executiva. Nos dois primeiros meses de 2014, os genéricos registraram crescimento de 18 % nas vendas em volume, somando 130,8 milhões de unidades vendidas, contra 112,5 milhões no ano passado. Em valores, as vendas da categoria atingiram a marca acumulada de R$2,3 bilhões entre janeiro e fevereiro de 2014, acumulando crescimento de 21,7%. “Somos o motor da indústria farmacêutica no Brasil. Enquanto crescemos 18%, o mercado total cresceu apenas 12%, o que mostra nossa força”, diz Salles. A economia acumulado pelos consumidores brasileiros que optaram por substituir os produtos de referência (marca) pelos genéricos, de 2000 a 2013, já atingiu a marca de R$43,4 bilhões. Farmácia Popular A presidente da PróGenéricos aponta, ainda, que os programas de assistência farmacêutica do governo, como o Farmácia Popular, também são fundamentais para que o crescimento do setor e o fortalecimento das empresas. “Hoje, no setor público, mais do que uma obrigatoriedade legal, o médico receita o genérico porque sabe que o produto funciona, que tem qualidade e que a população pode pagar pelo produto”, afirma. Os genéricos correspondem a 85% do volume de produtos dispensados pelo Programa Farmácia Popular, segundo dados do Ministério da Saúde.   Fonte: Conteúdo Comunicação


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.