Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 3 de agosto de 2010.

Laboratório Teuto implanta serviço de Farmacovigilância

COMPARTILHE:

Race Comunicação

De acordo com as novas normas da Anvisa, consumidores e profissionais da saúde poderão notificar eventos adversos ocorridos durante o uso de medicamentos

Seguindo as novas orientações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Laboratório Teuto implantou o serviço de Farmacovigilância. A Norma – RDC n.º 04/2009 – estabelece que a indústria informe à agência reguladora, os relatos de eventos adversos relacionada aos seus medicamentos.

Sempre procurando atender aos requisitos da Agência, principalmente quando as solicitações vêm de encontro aos interesses e necessidades dos consumidores, o Laboratório Teuto trabalha para garantir que os usuários possam contar com mais este serviço.

Com a Farmacovigilância, o Teuto ficará responsável por receber, identificar e investigar os eventos adversos relacionados aos seus medicamentos. Também terá de comunicar à sociedade, caso necessário, a descoberta de quaisquer novos riscos relacionados aos produtos. As notificações de consumidores e profissionais da saúde são recebidas pela empresa, através do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC).

Segundo o farmacêutico Gustavo Rafaini Lloret, analista de farmacovigilância do Laboratório Teuto, o serviço, de acordo com as novas orientações da Anvisa, foi implantado na empresa há cerca de quatro meses. "Neste primeiro momento estamos em fase de estruturação do sistema. Mas, ao mesmo tempo já alimentando um banco de dados que tornará possível a avaliação do perfil de segurança de nossos produtos no mercado", garantiu.

O analista acrescentou ainda que, o Laboratório deverá a encaminhar os relatos recebidos à Anvisa, seguindo prazos estipulados de acordo com a gravidade. "Para casos mais graves envolvendo ameaça à vida ou até mesmo óbito do usuário, a empresa terá setes dias corridos para informar o órgão. Atenção especial deverá ser dada para notificações envolvendo gestantes ou mulheres em período de amamentação", afirmou.

Para o supervisor de marketing do Laboratório Teuto, Aurélio Ramos, a farmacovigilância não trata apenas de um serviço obrigatório, mas sim da responsabilidade da empresa. "Estamos agregando mais uma prestação de serviço tanto para Anvisa, quanto para os consumidores, com qualidade e seriedade", concluiu.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.