Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 19 de agosto de 2010.

Procter investe em produtos para as classes C & D

COMPARTILHE:

Brasil Econômico

A Procter & Gamble (P&G) tem 300 marcas ativas ao redor do mundo. No Brasil, onde atua há 22 anos, são 18. Até anteontem, eram 15. Lançamento de novas linhas deve ampliar ticket médio de R$ 12.

Em uma estratégia que pega carona no aumento do poder aquisitivo do brasileiro e insere a fabricante de produtos de limpeza, higiene pessoal e beleza em novas categorias de produtos no país, como a de cuidados com a pele do rosto, a P&G está trazendo para o Brasil as marcas Olay (para o rosto), Head&Shoulders (xampu e condicionador anticaspa) e Naturella (absorvente íntimo com camomila).

Com a chegada das novas marcas nas gôndolas a partir de novembro, o investimento recente de R$ 150 milhões nas unidades fabris e de distribuição no Rio de Janeiro e do evento P&G Experience que, durante três dias, fechou praticamente um andar do WTC em São Paulo para receber varejistas do Brasil todo, a P&G pretende engordar sua participação nos carrinhos dos brasileiros.

"O brasileiro gasta de R$ 10 a R$ 12 por ano com produtos da P&G, enquanto os mexicanos desembolsam R$ 40 e os americanos R$ 200. Nossa meta é alcançar os mexicanos, mas não posso revelar em quanto tempo", diz o egípcio Tarek Farahat, presidente da P&G no Brasil.

Para atrair a classe C, a P&G está trazendo para o país a marca cinquentenária Olay, uma das mais fortes dos Estados Unidos em cremes faciais.
Em três meses, desembarcam nas prateleiras das farmácias seus produtos para limpeza e hidratação, a preços que deverão custar de R$ 15 a R$ 70.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.