Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 11 de agosto de 2014.

Raia Drogasil tem alta de 54,3% no lucro líquido

COMPARTILHE:

Maior rede de farmácias do país, a Raia Drogasil apurou alta de 54,3% no lucro líquido de abril a junho, quando o valor atingiu R$ 62,12 milhões – no semestre, o montante cresceu 67,3%, para R$ 91,25 milhões. É o maior lucro líquido já registrado pela empresa em um trimestre desde a sua criação, em 2011. A receita líquida cresceu 16,4%, alcançando R$ 1,79 bilhão de abril e junho, e no acumulado do ano, se expandiu 17,8%, segundo relatório de resultados publicado ontem. “O número reflete os ganhos com a integração das empresas. Fizemos a lição de casa, o processo de união das redes está quase na fase final e a distração que existia com a integração praticamente acabou. Passamos a focar só na operação”, disse ontem Eugênio De Zagottis, diretor de relações com investidores e de planejamento corporativo. A rede ainda informou que deve atingir a meta de abertura de 130 lojas no ano (foram 47 inaugurações até junho) e é provável que mantenha esse ritmo em 2015, sem previsão de redução de investimentos no ano, apesar da desaceleração da economia. “Este é o momento de aproveitar uma fraqueza de quem não pode investir”. A taxa de expansão nas vendas “mesmas lojas” (em operação há mais de 12 meses) de 8,9%, porém, é inferior ao ritmo apurado em 2013. De abril a junho do ano passado, esse índice foi de 10,2%. O número foi afetado, em parte, pelo fechamento temporário de lojas durante a Copa do Mundo, em junho, com impacto negativo estimado em 1,3 ponto no trimestre nas vendas “mesmas lojas”. “Tivemos efeito calendário da Páscoa [o feriado é um dia de vendas a menos] e o efeito dos feriados da Copa do Mundo que impactaram o índice em 0,8 e 1,3 ponto, [respectivamente]”, disse Zagottis. No entanto, como aconteceram protestos em junho de 2013, que reduziram o tráfego em lojas, o número de junho deste ano foi beneficiado pela base mais fraca. Segundo o balanço publicado ontem, a relação entre receita bruta e despesas com vendas ficou em 18,2%, versus 18,1% em 2013, e entre receita e despesas gerais e administrativas ficou em 2,8%, versus 2,5% de abril a junho de 2013. O valor do lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação foi de R$ 129,7 milhões, versus R$ 95,3 milhões, alta de 36%. A margem bruta atingiu 28,1%, expansão de 1,1 ponto percentual. Questionado sobre previsão de margem ebitda para o ano, se é possível mantê-la na faixa de 6,1% (ajustada), registrada até junho, o diretor diz que é um “bom número” para perseguir. “Trabalhamos para estar na faixa de 5,1% a 7,1%”. Fonte: Valor Econômico


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.