Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 18 de março de 2010.

Sanofi-Aventis busca projetos de inovação no Brasil

COMPARTILHE:

Valor Econômico

O laboratório francês Sanofi-Aventis fechou parceria com a Fundação Biominas para identificar projetos na área de saúde no Brasil com foco em diabetes, doenças tropicais, como malária, febre amarela e dengue, e câncer. Criada há 20 anos, a fundação mineira trabalha na prospecção de projetos com potencial de inovação.

No ano passado, a Fundação Biominas, entidade privada sem fins lucrativos, apoiou cerca de 25 projetos com esse objetivo. É a primeira vez que uma empresa do porte da farmacêutica francesa elege o Brasil para buscar novos produtos, com foco em inovação, segundo uma fonte do setor.

Identificados esses projetos pela Fundação Biominas, a companhia poderá incrementar os estudos para colocar os produtos no mercado. "Esses estudos serão o braço de inovação da Sanofi aqui no Brasil", afirmou a mesma fonte ao Valor.

A Fundação Biominas, que tem um vasto banco de dados, busca projetos em empresas pequenas e médias e também universidades, com forte potencial para produto inovador. O objetivo é fomentar novas tecnologias que podem virar negócio.

Em 2008, a Fundação Biominas realizou trabalho semelhante com o laboratório suíço Roche. A entidade foi contratada para buscar projetos de inovação, com foco em pesquisas de moléculas e tecnologias realizadas no Brasil. O trabalho da fundação foi buscar potenciais parceiros para que a companhia suíça consiga lançar medicamentos fabricados no Brasil. Neste ano, a Roche Diagnóstica, outra divisão do grupo suíço, começa a fazer pesquisas para identificar os diversos vírus da região da Amazônia para fabricar futuras vacinas. Os estudos serão feitos em parceria com o Instituto Evandro Chagas (IEC), do Pará, e a Universidade de Columbia, nos EUA.

Farmacêuticas que investem em biotecnologia, como a Roche, e outras gigantes farmacêuticas, buscam firmar parcerias para incrementar suas pesquisas em inovação.

No ano passado, a Sanofi-Aventis adquiriu por R$ 1,5 bilhão o laboratório nacional Medley. A compra permitiu que a francesa avançasse no segmento de genéricos, tornando-se a líder no país e na América Latina. Quarta maior companhia farmacêutica do mundo, a empresa tem reforçado sua liderança também nos países emergentes.

Em 2009, a Sanofi-Aventis registrou faturamento global de R$ 29,3 bilhões. Os investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) ficaram em R$ 4,58 bilhões no mesmo ano, com recuo de 1,4% sobre 2008. A redução dos gastos com P&D com produtos farmacêuticos, que teve como reflexo a paralisação de alguns projetos, foram compensados com aumento de 14,5% em despesas em pesquisas para vacinas.

Embora o mercado de genéricos avance no Brasil e no mercado internacional, os grandes laboratórios farmacêuticos têm como foco principal fazer investimentos pesados em inovação de medicamentos. Os países emergentes, contudo, ainda são alvos de apostas de muitas companhias para aportes no segmento de remédios genéricos. "Investimentos em inovação ainda são raros em mercados emergentes, mas aos poucos, essa filosofia poderá mudar", afirmou uma fonte.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.