fbpx
Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 22 de março de 2017.

SBD/A em parceria com a Johnson & Johnson lança programa de capacitação para profissionais de saúde com foco em Arboviroses

COMPARTILHE:

A Johnson & Johnson, maior e mais diversificada empresa de saúde do mundo, em apoio à luta contra as arboviroses, firmou parceria com a Sociedade Brasileira de Dengue e Arboviroses, (SBD/A) para criar o Programa de Capacitação e Aprimoramento em Arboviroses. O projeto pretende orientar os profissionais de saúde para educar a população em relação à prevenção e aos cuidados que envolvem viroses como Dengue, Zika, Chikungunya e Febre Amarela.

“Esta iniciativa representa mais um esforço e mobilização da Johnson & Johnson, que desde o ano passado vem buscando desenvolver parcerias para capacitação de profissionais de saúde no sentido de ajudar o país no enfrentamento dos surtos que atingem grande parte da população” afirma Fernanda Pimentel, Diretora de Medical Affairs da Johnson & Johnson Consumo para a América Latina.

O conteúdo do curso foi desenvolvido a partir das evidências científicas mais recentes disponíveis sobre o tema com a liderança da SBD/A em parceria com outras sociedades médicas e conselhos de classe.  As informações, métodos e ações de prevenção são baseadas nos guias e protocolos oficiais das autoridades de saúde.

“Trabalhos realizados no Brasil têm mostrado que ainda há muita dúvida entre os profissionais de saúde sobre como conduzir casos de Arboviroses, sabemos que um manejo clínico adequado diminui muito as mortes associadas às arboviroses e o sofrimento dos pacientes”, destaca Artur Timerman, presidente da SBD/A.

Os cinco vídeos aulas trazem conhecimentos sobre a biologia dos vetores, as características dos arbovírus que causam doenças em humanos, como diferenciar as principais arboviroses existentes no Brasil, como fazer o tratamento adequado dos pacientes e as particularidades dessas doenças em populações especiais. O conteúdo está disponível no site da SBD/A.

Associações parceiras do projeto:

  1. Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO)
  2. Conselho Federal de Enfermagem
  3. Sociedade Brasileira de Farmacêuticos e Farmácias Comunitárias (SBFFC)
  4. (FEBRASGO) Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia
  5. Sociedade Brasileira de Clínica Médica – Regional São Paulo
  6. Sociedade Brasileira de Infectologia
  7. Sociedade Brasileira de Neurologia Infantil (SBNI)
  8. Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH)

 

Johnson & Johnson no combate ao Zika Vírus

O programa faz parte da série de ações da Johnson & Johnson para ajudar o país a enfrentar o vírus Zika e outras arboviroses. As primeiras inciativas aconteceram em 2016, com o apoio a duas frentes de atuação. A primeira delas, o ZikaLab, contou com a parceria do CONASEMS (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde), e o IPADS (Instituto de Pesquisa e Apoio ao Desenvolvimento Social), para o desenvolvimento de um programa de capacitação de trabalhadores públicos de saúde com foco na melhoria do atendimento a gestantes, mães e famílias de bebês com microcefalia. Além disso, a Johnson & Johnson também investiu em pesquisas e desenvolvimento de soluções científicas contra a doença.

Segundo o Ministério da Saúde foram registrados em 2016, 214.193 casos prováveis de febre pelo vírus Zika no país, com taxa de incidência de 104,8 casos/100 mil hab., sendo 128.266 casos confirmados (59,9%). Em relação às gestantes, houveram 16.923 casos prováveis, sendo 10.820 confirmados, de acordo com os dados do Sinan-NET. Os óbitos em recém-nascidos, natimortos, abortamento ou feto, resultantes de microcefalia possivelmente associada ao vírus Zika, ainda são acompanhados pelo Informe Epidemiológico sobre o Monitoramento dos Casos de Microcefalia no Brasil.
A região Centro-Oeste registrou o maior número de casos prováveis, 219,2 casos/100 mil hab. Entre as UFs, Mato Grosso, 670,5 casos/100 mil hab., Rio de Janeiro, 407,7 casos/100 mil hab. e Bahia 338,5 casos/100 mil hab. Além disso, também foram confirmados laboratorialmente em 2016 6 óbitos por vírus Zika, 4 no Rio de Janeiro e 2 no Espírito Santo.

O que são arboviroses?

As Arboviroses são doenças virais caracterizadas por serem de difícil controle e prevenção. São provocadas por mais de 500 espécies de vírus, entre os quais 150 chegam a afetar o ser humano, como Dengue, Chikungunya, West Nile, Febre Amarela, Mayaro, entre muitas outras. Três vírus estão se tornando epidêmicos em diversos países: os vírus dos quatro tipos de Dengue, o Zika Vírus e da febre Chikungunya, todos eles transmitidos pelos mesmos vetores: o Aedes aegypti – o principal transmissor em áreas urbanas – e o Aedes albopictus. Há sintomas comuns a estas infecções e a diferenciação é feita sobre a presença e a intensidade dos sintomas e sinais relatados.  Além disso, também é estabelecido o nível de gravidade do quadro naquele paciente, orientando os demais procedimentos.

Para saber mais informações sobre outras arboviroses veja no site: https://www.sbd-a.org/.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Johnson & Johnson



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logotipo Ascoferj

INFORMA

A Ascoferj informa que está em regime semipresencial.

Segundas, quartas e sextas: atendimento presencial, das 12h às 17h
Terças e quintas: atendimento remoto, das 8h às 17h.

Telefones de todos os setores para contato:

– Financeiro – (21) 98272-2882
– Jurídico – (21) 98097-0092
– Regulatório – (21) 98272-2852
– Comunicação – (21) 98272-2867
– DAC/Cursos – (21) 98399-0146
– Central de Negócios – (21) 98293-1816
– Comercial – (21) 98097-0099
– Relacionamento – (21) 98145-2036

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.
×