Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 27 de agosto de 2010.

Serra critica burocracia para produção de genéricos no país

COMPARTILHE:

O Globo

Em encontro com representantes da indústria farmacêutica de genéricos, o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, defendeu a redução do volume de tributos para os medicamentos e atacou a burocracia que, segundo ele, retém a produção destes remédios no país. Segundo ele, atualmente, cerca de dois bilhões de reais em medicamentos deste tipo estão retidos na Anvisa por conta da burocracia existente.

"Hoje há um mecanismo de via lenta que atrapalha a produção de genéricos no país", disse ele, lembrando ainda que desde que os genéricos foram implantados no país, em 2000, os consumidores brasileiros economizaram R$ 15 bilhões.

O tucano ressaltou ainda que a produção destes remédios demorava até seis meses na época em que era ministro da Saúde. Já hoje, segundo ele, a demora para um genérico chegar às prateleiras das farmácias pode chegar a um ano e meio.

Sobre o quanto pode ser reduzido em tributos nos medicamentos, Serra considerou "sofisticação" qualquer estimativa neste momento. O candidato disse apenas que quando era ministro conseguiu, com a eliminação do ICMS e do PIS/Cofins, a redução em 10% dos impostos em remédios de uso continuado e antibióticos, que representam 62% do mercado nacional.

Questionado sobre a pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta terça-feira, Serra alegou que não teve interesse em saber quais são os números e não comentaria o resultado. O levantamento mostrou Dilma com 18 pontos de vantagem sobre o tucano.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.