Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 28 de março de 2012.

V Fórum Ibero-Americano de Entidades Médicas

COMPARTILHE:

Representantes de entidades médicas de 17 países da América Latina, Caribe e Europa estarão reunidos em Florianópolis, entre os dias 28 e 30 de março,no V Fórum Ibero-Americano de Entidades Médicas (FIEM). O evento – promovido pela Confederação Médica Latino-americana e do Caribe (Confemel) – teve o apoio do Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina (Cremesc) e do Conselho Federal de Medicina (CFM).

Serão realizados debates sobre temas como a migração de profissionais, a revalidação dos diplomas obtidos no exterior e a montagem de um cadastro único com todos os médicos que atuam na América Latina e Caribe. Para o presidente do CFM, Roberto Luiz d´Avila, que também ocupa o cargo de vice-presidente da Confemel, ao tocar em assuntos polêmicos relacionados à formação e ao trabalho médicos a categoria dá passos importantes. Segundo ele, a grande preocupação é com a qualidade da assistência oferecida: “o reconhecimento de diplomas sem critério pode colocar em risco a saúde dos indivíduos e até de comunidades inteiras”.

A qualidade da formação e da assistência oferecida na região é também preocupação do presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), Florentino de Araújo Cardoso Filho. Na avaliação dele, “é de grande relevância que o Brasil e os demais países irmãos no FIEM discutam a capacitação dos médicos na região, tanto na graduação quanto na pós-graduação; assim como analisem, juntos, a situação do mercado de trabalho e suas perspectivas. Deste modo, poderemos vislumbrar um futuro cada vez melhor para os médicos e a saúde da população”.

O presidente da Federação Nacional dos Médicos (Fenam), Cid Célio Jayme Carvalhaes, também estará no encontro em Florianópolis e aponta os problemas comuns aos países ibero-americanos. “Com a crise da Espanha e em Portugal, com as dificuldades das Américas, temos dificuldade muito grande em termos de condições de trabalho, que é, em geral, precarizado”. Ele relata ainda que “na maioria dos países nos temos dificuldades materiais importantes de instalações, insumos e medicamentos, respeitadas as peculiaridades de cada um dos países”.

As propostas aprovadas pelos médicos participantes serão divulgadas no encerramento do encontro, na sexta-feira (30), sendo que há expectativa de formalização de acordos e parcerias. “O encontro configura um momento de integração dos médicos da região, que fortalece a categoria para a conquista da valorização profissional nos países”, avalia o presidente do CFM.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.