Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 26 de agosto de 2014.

Vacina contra a gripe em gestantes reduz risco de prematuridade

COMPARTILHE:

As mulheres que estão em período gestacional ou pós-parto precisam tomar diversos cuidados, pois são mais suscetíveis a infecções. Isso acontece porque o corpo da mulher grávida cria um mecanismo que diminui, temporariamente, as defesas imunológicas para que não haja rejeição ao feto. E nesta época de outono, quando tem início a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe, é essencial que as gestantes incluam em sua rotina de cuidados um momento para a tão importante vacina. As grávidas fazem parte do grupo prioritário, que inclui as crianças maiores de seis meses e menores de dois anos. Além de não prejudicar o feto, a vacina ainda protege o bebê durante os primeiros meses de vida, como explica a infectologista do Hospital e Maternidade Santa Joana, Rosana Richtmann. “As gestantes que recebem a vacinação contra a gripe durante a gestação passam anticorpos ao feto através da placenta. Assim, o bebê, que não pode receber a vacina ao nascimento, estará protegido nos seus primeiros seis meses de vida por meio da vacinação da mãe”. Nos últimos tempos, muitas pessoas, em especial pais, começaram a se mobilizar contra as vacinas, motivados pelo temor de possíveis efeitos colaterais, e isso fez com que muitas doenças ressurgissem com bastante força. Nos Estados Unidos, por exemplo, no início deste ano houve um surto de coqueluche – doença infecciosa que compromete o aparelho respiratório e pode ser evitada pela vacina tríplice DPT (contra difteria, coqueluche e tétano). Em 2009, após a pandemia de gripe A (H1N1), que, ao contrário das gripes sazonais que afetam principalmente os idosos, atingiu muito mais as pessoas com menos de 65 anos, as gestantes aderiram muito mais ao medicamento. Antes, apesar da vacina nunca ter sido contraindicada, as mulheres grávidas não eram medicadas por simples cautela, já que muitas vezes são orientadas a evitar vacinas no início da gestação. Fonte: Maxpress Net


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.