fbpx
Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 3 de dezembro de 2009.

Vacina reduz em 20% mortalidade de idosos por enfarte

COMPARTILHE:

Cruzeiro do Sul Online

A vacinação contra a gripe comum reduziu em 20% a mortalidade de idosos por enfarte na cidade de São Paulo, segundo pesquisa do Instituto do Coração de São Paulo (Incor). Isso acontece porque os efeitos da gripe no organismo, como desidratação, taquicardia, febre e processos inflamatórios, podem atuar como gatilho para problemas cardíacos. "Pessoas imunizadas não ficam doentes ou têm quadros infecciosos muito mais leves, com menos riscos de complicações", explica Antonio Mansur, um dos autores da pesquisa publicada na revista "Arquivos Brasileiros de Cardiologia".

Os cientistas investigam agora a hipótese de que a vacina tenha um efeito protetor ainda mais importante para pacientes cardíacos jovens. Os pesquisadores analisaram a mortalidade de idosos por doenças cardiovasculares na capital entre 1980 e 2006. Ao comparar o período anterior ao programa de vacinação – que em São Paulo começou em 1998 – com o período seguinte, verificaram queda de 36% nas mortes por enfarte. Desse total, 20% eles atribuem à influência da vacinação.

Segundo Mansur, a grande adesão dos idosos ao programa de imunização na cidade permite calcular de forma consistente a influência da vacina na redução da mortalidade. "Isolamos por meio de análises estatísticas outros fatores que também possam ter contribuído para essa queda, como melhora no atendimento", explica. Em 2006, segundo dados da Secretaria Municipal da Saúde, 70,3% das pessoas entre 60 e 64 anos foram vacinadas. Entre os idosos com mais de 65 anos o índice foi de 83%. Estudos internacionais já tinham investigado os benefícios da vacina contra o vírus influenza para o coração, mas sua eficácia na prevenção do enfarte ainda é controversa. Este é o primeiro levantamento sobre o tema feito no Brasil.

Desde 2006, as diretrizes da American Heart Association e da American College of Cardiology recomendam a vacinação contra a gripe nos pacientes com doenças ateroscleróticas. A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) ainda não incluiu essa recomendação nas suas diretrizes oficiais – que servem para uniformizar o atendimento em todo o País -, mas deve fazê-lo em breve.

"Na próxima atualização da diretriz para tratamento do enfarte agudo do miocárdio a vacinação contra a gripe será incluída. Mas esta já é uma recomendação da SBC, que a maioria dos cardiologista do País seguem", afirma Jadelson Andrade, coordenador de normatizações e diretrizes da entidade. Segundo Mansur, o próximo passo é investigar a hipótese de que a proteção da vacina para o coração seja importante em pacientes jovens. Ele explica que a inflamação causada pelas placas de gordura nas artérias é pior nos mais jovens porque o processo é recente.

"É como um machucado que no começo fica vermelho e sensível, mas depois forma uma cicatriz e estabiliza", explica. O objetivo do grupo é acompanhar algumas pessoas na próxima campanha de vacinação. Os resultados deste trabalho só sairiam em 2011.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Logotipo Ascoferj

INFORMA

A Ascoferj informa que está em regime semipresencial.

Segundas, quartas e sextas: atendimento presencial, das 12h às 17h
Terças e quintas: atendimento remoto, das 8h às 17h.

Telefones de todos os setores para contato:

– Financeiro – (21) 98272-2882
– Jurídico – (21) 98097-0092
– Regulatório – (21) 98272-2852
– Comunicação – (21) 98272-2867
– DAC/Cursos – (21) 98399-0146
– Central de Negócios – (21) 98293-1816
– Comercial – (21) 98097-0099
– Relacionamento – (21) 98145-2036

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.
×