fbpx
Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 31 de julho de 2009.

Defeito interrompe produção de antiviral

COMPARTILHE:

O Estado de São Paulo

Apresentação pela Fiocruz, no Rio, do 1.º lote do oseltamivir foi adiada de ontem para hoje

O Ministério da Saúde adiou de ontem para hoje a apresentação do primeiro lote do oseltamivir, remédio contra a gripe suína, que será encapsulado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Oficialmente, alegou problema de agenda de seu representante, mas o Estado apurou em Farmanguinhos, laboratório da Fiocruz responsável pela fabricação de remédios, que a produção foi parcialmente interrompida por um defeito no sistema de umidade da sala onde é feito o encapsulamento.

O diretor de Farmanguinhos, Hayne Felipe, admitiu o problema com a umidade em um teste. Segundo ele, houve desajuste no equipamento, o que umedeceu algumas cápsulas, que foram invalidadas. Mas negou a interrupção da produção. Ele afirmou que o primeiro lote está "bastante adiantado" e será entregue até amanhã.

Ontem, o governo anunciou que vai facilitar o acesso da população ao oseltamivir, recomendando aos Estados que ampliem os postos de distribuição, a exemplo do que foi feito por São Paulo. Mas especialistas como David Uip temem que o uso sem critérios da droga faça com que ela perca a eficácia, já que ela apresentou resistência a vírus da gripe comum."Tem de haver um enorme discernimento na indicação", disse Uip.

Na semana passada, o Ministério da Saúde anunciou que até o fim do mês estariam disponíveis os primeiros 150 mil tratamentos produzidos pela Fiocruz. O ministro José Gomes Temporão tem pressionado para agilizar a apresentação do primeiro lote, na busca por uma agenda positiva em meio ao aumento dos casos da nova gripe.

Os remédios são fabricados com base no princípio ativo do laboratório Roche, que comercializa o Tamiflu. A compra, feita em 2006, corresponde à produção de 9 milhões de caixas com dez unidades, o que, afirma o governo, seria suficiente para todos os infectados.

A pedido do Ministério da Saúde, os funcionários de Farmanguinhos foram convocados a dar prioridade ao serviço. Os testes bioquímicos foram adiantados. A produção chegou a ser iniciada, mas o defeito surgiu justamente na etapa final da produção. O conserto foi providenciado com urgência.

O problema frustrou o corpo técnico que tem trabalhado dobrado para atender à demanda do ministério. Eles tentam superar as deficiências de infraestrutura do complexo de Farmanguinhos em Jacarepaguá. Em 2008, Farmanguinhos teve problema no teste de bioequivalência do Efavirenz, um dos antirretrovirais usados no tratamento de pacientes com HIV e que teve a patente quebrada pelo Ministério da Saúde. O remédio ficou pronto com atraso.

Vacinas

Nos Estados Unidos, as autoridades sanitárias pretendem vacinar 160 milhões de pessoas – pouco mais da metade de sua população -, grupo formado por grávidas e crianças, entre outras pessoas consideradas como prioridade. Até o fim de outubro, pelo menos 120 milhões de doses devem estar prontas.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Logotipo Ascoferj

INFORMA

A Ascoferj informa que está em regime semipresencial.

Segundas, quartas e sextas: atendimento presencial, das 12h às 17h
Terças e quintas: atendimento remoto, das 8h às 17h.

Telefones de todos os setores para contato:

– Financeiro – (21) 98272-2882
– Jurídico – (21) 98097-0092
– Regulatório – (21) 98272-2852
– Comunicação – (21) 98272-2867
– DAC/Cursos – (21) 98399-0146
– Central de Negócios – (21) 98293-1816
– Comercial – (21) 98097-0099
– Relacionamento – (21) 98145-2036

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.
×