Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 2 de agosto de 2009.

Farmácia: Centralderm anuncia o encerramento de atividades

COMPARTILHE:

O Informativo do Vale – Lageado – RS

Loja de Estrela foi vendida e a de Lajeado fechada. A indústria foi assumida por um grupo de três empresários

Aos 79 anos de idade, dos quais 48 anos dedicados ao trabalho na farmácia, o empresário Osmar Ehlers está anunciando a aposentadoria. O mês de julho marcou o encerramento das atividades das farmácias Centralderm. A de Lajeado foi fechada e a de Estrela vendida. A Indústria de Cosméticos Centralderm foi assumida por um grupo de três empresários. Resta ainda o laboratório de manipulação de medicamentos, que Ehlers gostaria de vender, para evitar que seja desmontado. “É um excelente laboratório, licenciado pela Anvisa e com vasta lista de clientes”, pondera. Todos os funcionários foram indenizados. Ele cita o excelente trabalho desenvolvido pela farmacêutica Isabel Schroeder, que permaneceu na empresa por 27 anos e agora está usufruindo a aposentadoria.

Osmar Ehlers é natural de Triunfo e veio para Lajeado em 1954 para assumir a economia do Clube dos 15, que tinha sua sede na Rua Júlio de Castilhos. Sete anos depois recebeu convite de Cid Bublitz para abrir a Drogaria Central Farmácias. A empresa chegou a ter nove lojas em cinco cidades. Em 1997 houve a cisão. A empresa foi separada e Bublitz criou a Drogativa, e Ehlers, a Centralderm. Ele dividiu a administração com o filho Álvaro. “Na época em que abrimos a farmácia havia três outras na cidade e hoje deve ter quase cinquenta.” A proliferação de farmácias inviabilizou o negócio. Ehlers lembra que depois que foi mudada a lei que permite a qualquer um abrir farmácia e vender de tudo, o setor ficou descontrolado. “Hoje não há mais a preocupação da saúde pública, se vendem medicamentos a qualquer preço e em qualquer circunstância, o setor perdeu a ética”, lamenta.

“Lajeado é minha segunda terra natal. Me sinto bem aqui, onde sempre fui bem acolhido.” Ehlers agradeceu o apoio que recebeu da comunidade lajeadense e regional ao longo dos anos em que manteve as farmácias. “Tenho muito para agradecer. Sempre fui respeitado e tratei todos com respeito e honestidade”, declara. São tantos os amigos aos quais quero agradecer e vou citar apenas um, o Oswaldo Carlos van Leeuwen, o diretor presidente da Rede Vale de Comunicação, por meio do jornal O Informativo do Vale. “Ele sempre apoiou e incentivou a nossa empresa.”
A decisão de fechar as portas foi muito difícil. “Vários fatores me levaram a isso. A alta carga tributária, o descontrole do setor, nenhum dos quatro filhos tem interesse em assumir a empresa.

Serviço comunitário
Além de empresário, Osmar Ehlers tem uma extensa lista de serviço comunitário. Sempre manteve participação ativa em diversas entidades. Ocupou o cargo de presidente do extinto Clube Recreativo de Lajeado, que se fundiu com o Clube Tiro e Caça; é fundador e ex-presidente da CDL de Lajeado; participou da fundação da loja maçônica Acácia Negra; teve participação na diretoria da Acil; foi sócio do Rotary Club de Lajeado, além de atuar e contribuir para diversas outras entidades.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.