Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 23 de setembro de 2013.

Genéricos lideram prescrição médica no país

COMPARTILHE:

Os genéricos já estão entre os medicamentos mais prescritos no país. Estudo realizado pela Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos, a Pró Genéricos, com base nos indicadores do Close-up International – consultoria especializada na auditoria do receituário médico no Brasil e América Latina -, indica que entre 20 medicamentos mais receitados pelos médicos brasileiros, 15 são genéricos. ""               O estudo considerou as prescrições médicas nos últimos 12 meses, entre julho de 2012 e julho de 2013. Foram 63 milhões de receitas emitidas no total. Os 20 mais prescritos correspondem a 12,1 milhões. Desses, os genéricos responderam por 8,4 milhões das prescrições (69,4%), seguidos pelos medicamentos de referência com 2,8 milhões (23,1%) e os medicamentos similares com 851,9 mil (0,7%). ""               A Losartana Potássica, indicada para o controle da hipertensão, lidera o ranking das prescrições com 1,422 milhão de receitas em julho. O segundo e o terceiro lugar são ocupados pro dois produtos de referencia, o Rivotril (ansiolítico) com 1,395 milhão e o Glifage (diabetes) com 1,094 milhão. Os genéricos seguidamente ocupam da 4ª até a 12ª posição no ranking das prescrições. Como no caso da Losartana, os demais medicamentos da lista também são indicados predominantemente para o tratamento de doenças crônicas, além de antibióticos e ansiolíticos. “Esse dado mostra a relevância dos genéricos para o acesso a medicamentos, sobretudo os indicados para doenças crônicas”, analisa Telma Salles, presidente executiva da Pró Genéricos. Entre os similares, apenas dois produtos estão entre os 20 medicamentos mais prescritos no país: o Astro e o Aradois, 13ª e 14ª posição. Da 15ª até 20ª, apenas 17ª não é ocupada por um genérico. Trata-se do Tylex, um produto de referencia indicado como analgésico. Confira o ranking: ""                   Custando no mínimo 35% mais em conta que os produtos de referência, os genéricos, na prática, são vendidos com preços até 60% inferior ao preço desses medicamentos. “O mercado de medicamentos genéricos é bastante competitivo, o que acaba influenciando na diminuição do preço dos produtos. O consumidor é quem mais sai ganhando, pois sempre encontra opções de genéricos mais em conta”, analisa Salles. A executiva informa, ainda, que, atualmente, os genéricos já respondem por 85% dos medicamentos dispensados pelo Programa Aqui Tem Farmácia Popular, do Governo Federal.   Fonte: Conteúdo Comunicação


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.