Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 19 de agosto de 2010.

Indústria farmacêutica deve crescer 9%

COMPARTILHE:

Guia da Farmácia

O faturamento do setor farmacêutico no Brasil deverá crescer 9,19% neste ano, segundo revela um estudo realizado pela consultoria Lafis. De acordo com reportagem do Globo Online, o levantamento também mostra que o volume de vendas de medicamentos deverá atingir 1,81 bilhão de unidades em 2010. O crescimento de dois dígitos tem sido verificado na indústria nos últimos cinco anos, já que os rendimentos do setor têm características mais inelásticas e resistem às crises.

Para 2011 e 2012, a Lafis projeta um avanço no faturamento de 9,28%, para R$ 40,15 bilhões, e de 8,99%, para R$ 43,76 bilhões, respectivamente. Já as vendas de medicamentos deverão apresentar crescimento de 1,54% no ano que vem, para 1,84 bilhão, e de 1,01% em 2012, para 1,86 bilhão de unidades.

O mercado de genéricos deverá ser o pilar de crescimento do setor. Ainda segundo destaca o levantamento, até 2012, 17 fórmulas – que hoje faturam cerca de R$ 750 milhões – terão o fim de suas patentes no País, o que dará mais espaço para as vendas de genéricos.

Roche desenvolve aparelho de bolso para cálculo da dose de insulina
Brasil Econômico

Ao mesmo tempo que se dedica a pesquisas de ponta na área hospitalar e laboratorial, a Roche reforça a sua posição no mercado de diabetes, segmento no qual a empresa atua somente pela divisão Diagnóstica. Está previsto para setembro o lançamento do Accu-Chek Combo, uma evolução no tratamento dos portadores da doença do tipo 1 (insulino-dependentes).

Essas pessoas que necessitam de injeções de insulina para controlar a glicemia muitas vezes optam pelo Accu-Chek, aparelho doméstico que permite a medição do nível de açúcar no sangue. Com o Combo, vão poder adequar as doses dos índices glicêmicos, alimentação e atividades diárias, sem a realização de cálculos complicados. Estes serão feitos pelo próprio aparelho que se assemelha a um pequeno celular e pode ser guardado no bolso.

Utilizando a tecnologia Bluetooth, o sistema combina a bomba de infusão de insulina, o medidor de glicemia e um sistema de gestão de informação. A bomba injeta a insulina no sangue e emite os dados metabólicos ao medidor que, por sua vez, os analisa para controlar o diabetes. A empresa não quis adiantar o preço do aparelho.


VER MAIS SOBRE: arquivo


Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.