Pular para o conteúdo

Notícias


icone de categorias Notícias icone de data de publicação 3 de dezembro de 2019.

Novartis recicla blisters de medicamentos para produção de portas e perfis

COMPARTILHE:

Foto: Divulgação

A Novartis, pensando na sustentabilidade, promove o destino inteligente de blisters – embalagens de plástico e alumínio para a proteção de medicamentos – remanescentes do processo produtivo da sua fábrica em Cambé, no Paraná.

O diretor-geral da fábrica em Cambé, Bruno Petenuci, fala sobre a decisão de implantar a reciclagem no local: “Isso faz parte da nossa estratégia de eliminar o impacto do plástico em nossas operações”.

O que é o blister?

O blister é uma embalagem primária composta de material plástico (PVA ou PVDC) com cavidades para a inserção do medicamento em comprimido e selado com material laminado (alumínio).

O resíduo aproveitado é formado, em média, por 85% plástico e 15% de alumínio.

Implementação da reciclagem na fábrica de Cambé

A planta fabril tem capacidade produtiva de aproximadamente 2,2 bilhões de comprimidos e mais de 100 milhões de cartuchos por ano. Por conta das regras de excelência e qualidade instruídas pelo Grupo Novartis, o blister reutilizado não tem contato com o medicamento, podendo ser reaproveitado sem levar substâncias químicas para o processo de reciclagem ou ao meio ambiente.

“Em média, 200 quilogramas de blisters são descartados por dia, que agora seguem para reciclagem e produção de portas ou guarnições, por exemplo. A estimativa é que os materiais reciclados pela Novartis possam gerar cerca de 160 portas ao mês”, revela a engenheira ambiental da fábrica, Hellen Schmitt.

O processo de fabricação

O processo de fabricação dos produtos acabados é realizado pela Unicomper, empresa especializada na transformação de material reciclado para o mercado. É ela que ajuda na fabricação das portas, rodapés, guarnições e batentes.

A transformação do resíduo não gera impacto ambiental, pois a extrusão do PVA trabalha em torno de 150ºC e, nessa temperatura, não há degradação do material e liberação de gases poluentes.

Estratégia sustentável da Novartis

A Novartis está comprometida em eliminar o impacto ambiental do lixo seguindo uma estratégia clara de gerenciamento de resíduos. Aproximadamente 80% de todos os resíduos não químicos são reciclados atualmente.

O objetivo da empresa é, até 2025, eliminar o cloreto de polivinila (PVC) em embalagens secundárias e terciárias, reduzindo o descarte de resíduos pela metade em relação aos níveis de 2016.

Além disso, é pretendido que, até 2030, a empresa seja completamente neutra em termos de plástico, com todos os novos produtos atendendo aos princípios de design sustentável.

Veja também: Anvisa publica nova RDC sobre boas práticas de distribuição de medicamentos

Fonte: Revista da Farmácia


VER MAIS SOBRE: Blisters / Fábrica / Novartis / Reciclagem


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.