STJ acata pedido da Ascoferj e protocolo de revalidação da licença sanitária se torna válido para obtenção de AFE e AE

Protocolo de revalidação
Foto: freepik
Protocolo de revalidação
Foto: freepik

Em recente julgamento do Superior Tribunal de Justiça (STJ), os ministros mantiveram as decisões favoráveis à Associação do Comércio Farmacêutico do Estado do Rio de Janeiro (Ascoferj) já tomadas pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) em relação a aceitação do protocolo de revalidação da licença sanitária como documento válido para obtenção da Autorização de Funcionamento de Empresa (AFE) e da Autorização Especial (AE), ambas concedidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Entenda o caso

Em 2013, o Departamento Jurídico da Ascoferj entrou com uma demanda coletiva contra a Anvisa para que aceitasse o protocolo de revalidação da licença sanitária da Vigilância Sanitária do Município do Rio de Janeiro como um dos documentos válidos para obtenção da AFE e da AE.

“Na época, as farmácias protocolavam a revalidação da licença, mas os fiscais demoravam bastante para ir ao local fiscalizar. Às vezes, o pedido ficava sem resposta por mais de dois anos. E os estabelecimentos acabavam sendo punidos por não estar com a licença em dia, tendo seus pedidos negados pela Anvisa”, revela Gustavo Semblano, advogado à frente do caso.

Por este motivo, a Ascoferj pediu que a Justiça reconhecesse a carência de fiscalização para concessão da AFE e da AE e, assim, não houvesse punição para as farmácias. “Nós esclarecemos que o Decreto 74.170/74 trata de uma flexibilização do período de validade em seu artigo 22, caso a Vigilância não tenha se manifestado no prazo”, lembra o advogado. O pedido da Associação já havia sido acatado em 1ª e 2ª instâncias. No entanto, a Procuradoria Federal da Anvisa recorreu ao STJ.

Argumentação da Anvisa e decisão do STJ

A Agência argumentou que, com a RDC 01/2010, havia a possibilidade de ser apresentado o protocolo do pedido de renovação da licença para concessão da AFE, desde que estivesse acompanhado da licença sanitária do ano anterior.

O STJ entendeu que, na prática, as empresas estavam impossibilitadas de apresentar o documento referente ao exercício anterior já que a Vigilância Sanitária não deu conta das solicitações a eles encaminhadas, conforme confirmado pelo próprio órgão nos ofícios.

A partir desse entendimento, os ministros acolheram o pedido da Ascoferj e, por este motivo, o pedido de revalidação é considerado um documento válido para obtenção das autorizações de funcionamento das farmácias.

Veja também: CFF articula PL que prevê piso salarial de R$ 6,5 mil para farmacêutico

 

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Receba as principais notícias direto no celular

Sala de imprensa

Esta é uma área dedicada especialmente para o atendimento à imprensa e com acessos aos nossos releases.

Receba nossa newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

Um programa para você ficar sempre bem informado

Logotipo Ascoferj

INFORMA

A Ascoferj informa que está em regime semipresencial.

Segundas, quartas e sextas: atendimento presencial, das 8h às 17h
Terças e quintas: atendimento remoto, das 8h às 17h.

Telefones de todos os setores para contato:

– Financeiro – (21) 98272-2882
– Jurídico – (21) 98097-0092
– Regulatório – (21) 98272-2852
– Comunicação – (21) 98272-2867
– DAC/Cursos – (21) 98399-0146
– Central de Negócios – (21) 98293-1816
– Comercial – (21) 98097-0099

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação. Ao continuar nesse site você está de acordo com nossa Política de Privacidade.
×